fbpx
Comissão aprova diligência para visita de senadores a Lula em Curitiba

A previsão é de que os parlamentares se desloquem até Curitiba na próxima semana

A Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou nesta quarta-feira (11) a formação de uma diligência para ir à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, para “verificar as condições de encarceramento” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Presidido pela senadora Regina Sousa (PT-PI), que fará parte da comitiva, o colegiado tomou a decisão um dia após a Justiça negar a visita de nove governadores e senadores a Lula.

A previsão é de que os parlamentares se desloquem até Curitiba na próxima semana. Farão parte da comitiva as senadoras Ângela Portela (PDT-RR), Gleisi Hoffmann (PT-PR) e Fa tima Bezerra (PT-RN), Lindbergh Farias (PT-RJ), Telma rio Mota (PDT-RR), Paulo Paim (PT-RS), Jorge Viana (PT-AC) e Paulo Rocha (PT-PA), além de Vanessa Graziotin (PCdoB-AM), autora do requerimento.

Ontem, governadores do Nordeste e dois senadores tiveram o pedido de visita a Lula negado pela Justiça. A juíza federal substituta Carolina Moura Lebbos alegou não haver “fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas” na carceragem. Nesta manhã, a Polícia Federal divulgou uma nota dizendo que o ex-presidente recebe os mesmos benefícios dos demais presos na sede da corporação no Paraná.

Plenário

Repetindo a atitude de deputados na noite de ontem, senadores da oposição fizeram nesta tarde um ato em defesa do ex-presidente Lula durante a sessão plenária. Enquanto os parlamentares votavam uma indicação para o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o senador Lindbergh Farias pediu a palavra e fez um discurso questionando as condições de encarceramento do ex-presidente.

Enquanto o senador petista falava, membros da oposição, da Câmara e do Senado, se posicionaram em frente aos demais parlamentares, portando faixas com o rosto do petista e os dizeres “Lula Livre”. “Estamos aqui hoje porque nós estamos tomados pela mais profunda indignação. O presidente Lula é um preso político”, disse.

Apesar das críticas do senador José Medeiros (PODE-MT), o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), garantiu a palavra a Lindbergh afirmando que o Senado é uma Casa “democrática onde as pessoas podem se manifestar”. O senador petista encerrou o ato, que durou cerca de cinco minutos, pedindo que todos o acompanhassem no grito: “Lula Livre”.

“Não creio que esta Casa, tirando uma comissão externa de senadores, como foi aprovada na CDH, negue nosso direito de visitar o presidente Lula, de ver as instalações”, disse, em referência à diligência aprovada pela CDH do Senado.

Fonte: agenciabrasil

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta