Comissão de corretagem não deve ser devolvida se comprador de imóvel desfaz negócio

O juízo da 19ª vara Cível de SP reconheceu a validade de distrato celebrado entre construtora e adquirente, negando a restituição da comissão de corretagem.

O autor conta que adquiriu em maio de 2016 um imóvel em construção, cujo valor total foi de R$ 275 mil, a ser adimplido de modo parcelado. Porém, pleiteou a rescisão do contrato com a construtora, e apesar de rescindido o contrato, e o imóvel estar à disposição da construtora, ela teria se negado a devolver todos os valores pagos, como a comissão de corretagem.

A ação foi julgada improcedente pela juíza de Direito Camila Rodrigues Borges de Azevedo. A magistrada asseverou que, pelo acordo, a ré comprometeu-se a creditar em favor do autor a quantia de R$ 9.645,55 (correspondente a quase 70% dos valores até então desembolsados para compra do imóvel), ficando estabelecido que o autor deu plena quitação com relação a todos os direitos que poderiam decorrer do instrumento distratado.

“Não há sequer alegação de vício de consentimento do autor por ocasião de sua celebração. Com efeito, não é preciso erudição jurídica para se compreender, de leiga traz implícita a ideia de concessões recíprocas com vistas ao encerramento de uma questão pendente, à solução amigável de um conflito de interesses, de um litígio potencial ou já deflagrado.”

Nas palavras da julgadora, o autor, maior e capaz, manifestou livre e espontaneamente sua vontade, e orientando-se por um senso de oportunidade que lhe recomendou receber desde logo determinada quantia, renunciando em contrapartida a outras verbas.

“Assim procedendo, o autor vinculou ao quanto pactuado, devendo arcar com as respectivas consequências obrigacionais. Neste particular, portanto, nada há a ser restituído pela ré.”

Os advogados Alexandre Junqueira Gomide e Fabio Tadeu Ferreira Guedes, da banca Junqueira Gomide & Guedes Advogados Associados, patrocinaram a defesa da construtora.

Fonte: migalhas

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Participe do debate. Deixe seu comentário