fbpx
Comissionada sofreu assédio moral por irmã de Confúcio e pediu demissão

Episódio causou mal estar no governo

Brasília – As irmãs do governador Confúcio Moura continuam “causando”, e confusão das grandes. Uma servidora comissionada que a auxiliava uma delas pediu exoneração após sofrer assédio moral (levou uns gritos) na frente de várias pessoas. O episódio causou desconforto no governo, que teve que realocar a moça em outro local para evitar um processo.

Para quem testemunhou a confusão, as cenas foram traumáticas. Após levar um esculacho a auxiliar saiu chorando da sala e queria registrar ocorrência policial, sendo impedida por outras pessoas. Quando a poeira baixou, convenceram a vítima a aceitar outra função, bem longe “das irmãs”.

As irmãs de Confúcio criaram todo tipo de problema no primeiro mandato, sumiram de circulação e foram retornando aos poucos. O marido de Cláudia, Francisco de Assis, conhecido como “Assis” chegou a ser preso em 2014 durante a Operação Platéias, devido a interferências em contratos do governo. Ele saiu de cena, e a esposa voltou.

Um dos projetos mais cabulosos do governo Confúcio, batizado de “Plano FutuRo” foi idealizado pelas irmãs do governador. O programa, de cunho social, afundou, mas arrastou milhões pelo ralo. Pelo jeito, o único “futuro” garantido foi o das irmãs, porque o da população que seria atendida, continua exatamente como estava no passado.

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta