fbpx
Como gerente de hotel, Dirceu vai ganhar quatro vezes mais que salário inicial da função

Contratado como gerente administrativo pelo hotel Saint Peter, em Brasília (DF), com salário inicial de R$ 20 mil mensais, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu terá remuneração bem distante da realidade da categoria.

O salário inicial médio para gerentes administrativos em Brasília, para ocupar vagas em grandes redes, é de R$ 5.000 com carteira assinada — um quarto dos R$ 20 mil que vão para o bolso de Dirceu todo mês. A estimativa é do Sindhobar (Sindicato dos Bares, Hotéis e Similares do Distrito Federal).

Exceções

Em casos específicos, segundo o Sindhobar, o salário pode superar em muito a média de R$ 5.000. No entanto, esses profissionais têm que ter amplo conhecimento sobre o empreendimento e, normalmente, assumem cargos de confiança sobre toda a rede de hotéis.

Esse não parece ser o caso de José Dirceu. Ele é formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) e, além de experiências políticas cravadas em seu currículo, não há nenhuma menção sobre conhecimentos de serviços de hotelaria.

O salário de Dirceu é 11 vezes maior do que o da gerente que o contratou. Ela ganhava, no ano passado, R$ 1.800. Páginas eletrônicas que oferecem empregos na internet divulgam vagas com salário com média de R$ 3.500 — a vaga com maior remuneração promete R$ 8.000 por mês.

O salário de R$ 20 mil, no entanto, não vai integralmente para o bolso de Dirceu. Segundo a Lei de Execução Penal, o salário recebido pelo detento deverá ser usado para pagar os danos causados pelo crime, dar assistência à família do preso, pagar pequenas despesas pessoais e ressarcir ao Estado as despesas com a manutenção do condenado.

O valor que será destinado a cada um dos itens deverá ser calculado pela Vara de Execuções Penais. Outra parte do salário, ainda a ser definida, será depositada em uma conta poupança, que será entregue ao mensaleiro assim que ele terminar de cumprir a pena.

Rotina

Além do trabalho no hotel, Dirceu não poderá fazer nenhuma outra atividade. Ele deverá sair do Complexo Penitenciário da Papuda às 7h da manhã e retornar às 19h. Além disso, segundo a Lei de Execução Penal, Dirceu poderá se deslocar do local de trabalho até 100 metros, durante o horário de almoço, para fazer suas refeições, com autorização do empregador, e não poderá almoçar em residência de familiares.

Se o emprego for autorizado pela Justiça, Dirceu terá muito trabalho. Além de ter que aprender sobre suas novas funções, terá que gerenciar, segundo o próprio site, “o maior hotel da área central de Brasília”.

O local tem 427 apartamentos, incluindo 16 quartos adaptados para portadores de necessidades especiais, além de auditórios e espaços para eventos. As diárias variam de R$ 440 a R$ 630.

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta