Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Confúcio, Raupp e os Nefelibatas… – Francisco Xavier

0

O universo político tem muitas lambanças, mas são raras as que se assemelham aos muitos absurdos cometidos pelo governador de Rondônia e por alguns militantes de seu partido. Ao invés de anunciar que disputará as eleições, Confúcio deveria ter vergonha de seu governo.

Quando surgiu como candidato, Confúcio tinha o perfil de uma pessoa politicamente bem organizada e parecia ser um administrador competente. Mas foram muitos os problemas criados por ele e por seus secretários. É preciso ser muito dissimulado para acreditar que este governo tem a aprovação da população.

Confúcio Moura prometeu em campanha priorizar a educação e a saúde. Tudo não passou de discurso vazio! Nunca houve neste governo um secretário de educação com capacidade para gerenciar a pasta. Além disso, o critério de escolha sempre deixou a desejar. Nenhum dos secretários que estiveram no cargo, incluindo-se o hoteleiro Emerson Castro, possui qualificação para tal função. Podem até ser pessoas boas, mas nunca mostraram nenhuma competência como secretário. Fui perseguido oficialmente por alguns dos secretários de educação de Confúcio, apenas porque costumo emitir minha opinião sobre os absurdos cometidos por eles.

O leitor sabe que este governo está mal. Nunca houve tantas greves num governo! E foram de diversas secretarias, para não parecer birra de uma ou outra categoria. Em certa ocasião, entraram em greve, simultaneamente, cinco categorias de trabalhadores do estado, numa prova clara de que não dá para aceitar o desgoverno. A desorganização e o improviso são tão evidentes que até as escolas passaram a ser vitimadas pela violência, com roubos e furtos contínuos.

Os problemas desse governo são muitos. Até hoje o governo não explicou a situação do servidor da educação que sumiu nas águas do rio Madeira e os familiares continuam sofrendo pela incompetência do governador e das pessoas que deveriam esclarecer os fatos.

No aspecto didático e pedagógico, embora a SEDUC tenha valorosos servidores de carreira que atuam na secretaria em Porto – Velho, infelizmente, os setores mais importantes da secretaria são chefiados por pessoas sem nenhuma capacidade administrativa para gerenciar as ações, como é o caso da senhora Rute Carvalho, que até hoje nunca apresentou nenhuma novidade e que assinou diversas portarias que representam um verdadeiro retrocesso na educação. Se Confúcio não prometesse em campanha priorizar a educação, com certeza essa secretaria já nem existiria. Nomear para este cargo pessoas que estão muito distante do tema é prova clara da falta de compromisso. Como acreditar que um colunista social entende da complexidade da educação? Por que nomear um hoteleiro para este cargo? E não venham com papo furado de dizer que as pessoas entendem de educação. No caso de Júlio Olivar, por exemplo, ele nem terminou o ensino médio. Como saberia entender a SEDUC? Emerson Castro nunca foi professor. Mesmo que entenda de hotelaria, uma atividade honrada, não sabe o que está fazendo na secretaria de Educação. Convenhamos!

Entre os grandes problemas criados na educação, podemos citar a recuperação bimestral, que causa inúmeros prejuízos aos alunos, pois a sistemática é completamente incompatível com os critérios de avaliação, também criados de forma arbitrária. A SEDUC vive inventando portarias que não servem para nada. E não servem porque contêm idéias ultrapassadas, jurássicas. Para fazer justiça, vale registrar que o Conselho Estadual da Educação raramente é consultado pelos chefes da secretaria, antes de implantarem esses absurdos pedagógicos.

Os problemas não param por aí. O governo de Confúcio também está trabalhando para tirar os professores da zona rural, deixando milhares de alunos sem este benefício constitucional. O PMDB quer os alunos da zona rural de Rondônia estudando somente em vídeos. É assim que o partido dos Raupp e de Confúcio trata o homem do campo? E quem tiraria as dúvidas dos alunos? Isso é priorizar a educação? Isso é respeitar o homem do campo? Claro que não!

Outro grande absurdo jurídico criado pelo governo do PMDB foi a tal eleição de diretores de escolas. Confúcio dizia que queria, com isso, democratizar as escolas. Não há democracia nenhuma depois das eleições de diretores. Pelo contrário. Muitos professores com imensa capacidade profissional têm sido perseguidos por diretores e colocados à disposição das Coordenadorias Regionais de Ensino, quando o diretor/a diretora acredita que terá no professor um concorrente nas “eleições” para diretor. As vítimas são muitas. Tirar um professor de uma escola, apenas para atender o interesse pessoal do diretor da escola é um absurdo. O mais preocupante nisso tudo é que isso virou a regra. Isso vem acontecendo em todos os municípios do estado.

Os problemas verificados na educação não são diferentes em outras secretarias. Quem trabalha ou precisa resolver alguma coisa em outras secretarias sabe que a bagunça é a mesma. Basta lembrar-se de outros governos do PMDB, para constatar que isso parece uma marca dos governantes dessa sigla. Claro que não me refiro aos muitos filiados que o partido possui. Conheço muita gente boa que é filiada a esse partido. Mas me refiro aos governantes do PMDB. Todo mundo lembra que no governo de Jerônimo Santana as denúncias de corrupção eram uma rotina. Todo mundo lembra que Valdir Raupp deixou os servidores do estado cerca de quatro meses sem salários e foi em seu governo que quebrou o Banco do Estado de Rondônia (BERON). Será que o estado agüenta ser governado de novo por alguém do PMDB?

Ninguém sabe de onde vêm os dados da pesquisa citada pelo senador Raupp, no encontro do partido em Ji-Paraná, na qual Confúcio teria 60% de aprovação popular. Não é possível saber se essa informação é verdadeira, pois Valdir Raupp, quando governador, ficou vários meses sem pagar os servidores e dizia que estava tudo bem. Coisas de nefelibata… Se alguém fizer uma pesquisa dentro do próprio partido, o governo de Confúcio será considerado um desastre. Se este governo tivesse 60% de aprovação, Raupp não teria buscado outro nome para lançar no lugar de Confúcio.

De qualquer forma, em outubro veremos a verdade dos fatos, sobre as declarações do homem que governava, quando o BERON faliu. Quanto a Confúcio, só nos resta saber o que ele irá prometer “priorizar” dessa vez… Seria interessante se ele “priorizasse” a Secretaria da Paz, aquela que foi criada somente para oferecer sinecuras ao pessoal do PMDB, mas que não serve para nada.

O senador Valdir Raupp deveria solicitar uma emenda federal, no valor de uns 100 milhões para comprar óleo de peroba…Tenho dito!

FRANCISCO XAVIER GOMES
Professor Rede Estadual

Comentários
Carregando