fbpx
Consumidor encontra barata em prato de restaurante no DF

O que era para ser um almoço entre colegas de trabalho acabou em desconforto para um grupo de clientes do restaurante Carpe Diem, no Brasília Shopping, na última segunda-feira (24/7). Enquanto comiam, um dos participantes da mesa encontrou uma barata em um prato com legumes grelhados servido no restaurante.

“Foi um absurdo. Meu amigo já tinha comido metade do prato quando percebeu uma coisa estranha e viu a barata temperada no meio da comida. Ficou um clima de desconcerto na mesa”, afirma o jornalista Maurício Júnior, 39 anos, que estava com grupo que encontrou o inseto no prato.

De acordo com o jornalista, eles costumavam almoçar no local e, no dia do incidente, se serviram no bufê de saladas e pratos quentes oferecidos no restaurante. Tudo ia bem até que um amigo de Maurício encontrou o inseto durante a refeição.

O jornalista afirma que, após a descoberta da barata, o grupo tentou chamar o gerente, mas foi informado de que ele não estava no local. O chef do estabelecimento, então, teria pedido desculpas em nome do restaurante, recolhido o prato com a barata e substituído os legumes nos quais o inseto foi encontrado.

Segundo Maurício, no entanto, a partir desse momento o apetite foi embora: “Alguns dos meus amigos ainda conseguiram continuar comendo, inclusive o que encontrou a barata no prato. Mas eu não tive condições. Pedi para que eles, no mínimo, retirassem o valor da minha refeição da conta. Não pretendo mais frequentar o local. Até porque também senti um clima de deboche dos atendentes diante do caso”, conta.

Indignado com a situação, Maurício Júnior tirou fotos do inseto e publicou nas mídias sociais. “De que adianta a desculpa de um ‘chef’ diante de uma barata no prato?”, questiona na legenda da publicação. O jornalista também entrou em contato com os responsáveis pelo restaurante e fez uma denúncia na Divisão de Vigilância Sanitária do DF.

Acionado pelo Metrópoles, o proprietário do restaurante Carpe Diem, Fernando La Rocque, classificou o episódio de um “acidente horroroso” e disse que nos 26 anos de funcionamento da casa na capital nada do tipo jamais havia ocorrido. O empresário afirma ainda que o problema foi causado pelo Brasília Shopping, que não teria realizado a dedetização na cozinha do restaurante há algumas semanas.

“Já havíamos enviado diversas solicitações pedindo aos responsáveis pelo shopping que fizessem a desinfestação, mas nenhuma medida foi tomada. Também não podíamos passar por cima deles e contratar uma empresa para o serviço por nós mesmos, porque essa responsabilidade é do shopping”, afirma La Rocque. A reportagem também teve acesso a e-mails que mostram pedidos de dedetização feitos à direção do shopping:

REPRODUÇÃO

Por fim, o empresário afirma: “Não queremos culpar terceiros, mas temos responsabilidades e cumprimos todas normas de boa fabricação de alimentos, armazenamento e conservação, tendo inclusive recebido o Selo A de certificação sanitária. Estávamos preocupados com o problema e tanto é verdade que solicitamos por diversas vezes providências do shopping que não nos escutou”.

Em nota, o Brasília Shopping afirmou que realiza dedetizações quinzenais no prédio e que “o lojista, responsável pela área interna de seu restaurante, tem total autonomia para realizar a desinsetização sempre e quando necessário”. Confira a nota do shopping na íntegra:

O Brasília Shopping esclarece que possui contrato em vigência com empresas de dedetização, controle sanitário e de boas práticas de manuseio e conservação de alimentos. Estes serviços são prestados regularmente em todas as suas dependências. O serviço de controle de pragas e insetos é realizado quinzenalmente e obrigatoriamente acompanhado pelos gerentes de cada estabelecimento. Além do protocolo a cada quinze dias, todas as vezes que solicitada pelo lojista, a dedetização é feita no interior da loja, em caráter preventivo.

O Brasília Shopping esclarece ainda que o lojista, responsável pela área interna de seu restaurante, tem total autonomia para realizar a desinsetização sempre e quando necessário. Em tempo, é dever da equipe contratada por ele fazer a adequada higienização das caixas ou sacas de insumos que chegam diariamente e são usados no preparo dos pratos. O lojista também é responsável por cuidar de pontos vulneráveis que possam vir a oferecer risco, como janelas, tomadas e qualquer outro item frágil e suscetível a entrada de insetos.

Fonte: metropoles.com

Painel Político, é um blog de notícias de Rondônia, com informações sobre política regional, nacional, economia, jurídico e variedades. Siga-nos nas redes sociais, visite-nos diariamente e fique sempre bem informado.

Deixe uma resposta