Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Crianças desaparecidas há 18 dias são encontradas mortas em São Paulo

Os corpos das duas meninas, de 3 anos, estavam dentro de um carro, em um terreno baldio na zona leste da cidade

0

Duas crianças de 3 anos foram encontradas mortas nesta quinta-feira (12/10), no Jardim Lapena, na zona leste de São Paulo. Os corpos estavam dentro de um carro, em um terreno baldio. A Polícia Civil investiga o caso.

De acordo com parentes, Adrielly Mel Severo Porto, de 3 anos e 8 meses, e uma menina identificada apenas como Beatriz estavam desaparecidas desde 24 de setembro. No dia em que sumiram, elas brincavam na frente da casa dos pais da mulher.

A comunidade se mobilizou para encontrá-las e chegou a fazer cartazes. Naquele dia, a família percorreu todo o bairro, também hospitais e conselhos tutelares.

Nesta quinta, as buscas chegaram a um Fiat Fiorino branco, com placa de Ibiúna (interior paulista), em um terreno baldio. O local tem saída para duas ruas. Em uma, era cercado por uma proteção metálica e, atrás, apenas por arame farpado, que estava rompido

Autor
Agachado perto da área cercada, o pai de Adrielly, o motorista Alan Oliveira Porto, de 42 anos, aguardava informações sobre o autor do crime. “A gente achou que elas tinham saído e se perdido. Não pensávamos que isso pudesse ocorrer.”

Porto conta que, momentos antes do sumiço, a família aproveitava o dia com as crianças. “As meninas estavam com nosso vizinho, que pedia para ela (Adrielly) repetir mensagens como ‘papai, te amo’, ‘mamãe, te amo’ e louvores”, afirma. Segundo ele, ninguém viu o momento do sumiço. “Um monstro pegou essas crianças. Queremos saber quem foi.”

Agitada, a mãe de Adrielly, a doméstica Adriana Severo de Jesus, de 28 anos, relatava pelo telefone o caso a parentes. Ela contava ter visto a filha sem roupas e com as pernas abertas no interior do veículo. Até as 21h30, a polícia não sabia se a criança havia sido estuprada.

A menina era a caçula de quatro filhos do casal, que mora a 150m de onde foram achados os corpos. “Nunca teve isso aqui antes”, diz.

Fonte: metropoles

Comentários
Carregando