Crianças ficam bêbadas ingerindo desinfetante para as mãos nos EUA

Centro de controle de intoxicações registra aumento de 400% no número de chamadas relacionadas ao problema

O consumo de desinfetante líquido para as mãos por crianças com menos de 12 anos começa a preocupar as autoridades americanas. Desde 2010, o Centro de Informação Antivenenos dos EUA registarou acréscimo de 400% nas chamadas relativas a menores ingerindo o produto, que, por ter uma quantidade de álcool considerável, pode levar à embriaguez.

Segundo reportagem no site do canal, uma menina de 6 anos de idade engoliu três ou quatro “esguichos” do aparentemente inócuo desinfetante no banheiro de sua escola. Ela própria contou à imprensa local que bebeu porque gostou do sabor de “morango”.
A menina chegou bêbada à sala de emergência de um hospital próximo a Atlanta, no estado da Georgia. Ela estava enrolando as palavras e era incapaz de andar.

“As crianças estão se habituando a ingerir esses produtos com mais frequência, e, infelizmente, há uma porcentagem delas vai parar na sala de emergência”, disse o Dr. Gaylord Lopez, diretor do centro antivenenos dos EUA.
DESINFETANTE TEM MAIS ÁLCOOL QUE A CERVEJA

A quantidade de álcool em desinfetante para as mãos varia de 45% a 95%. Ingerir mesmo pequenas quantidades pode causar intoxicação por álcool. Em comparação, vinho e cerveja contêm cerca de 12% e 5% de álcool, disse Lopez.

PUBLICIDADE

O nível de álcool no sangue da menina de 6 anos foi 0,179, o dobro do que é encontrado num adulto bêbado, de acordo com o Dr. Chris Ritchey, que a tratou na sala de emergência. Os médicos tiveram que assistir a garota durante toda a noite em um hospital infantil para investigar sinais de trauma cerebral, já que ela bateu a cabeça ao cair de tão embriagada.

A intoxicação por álcool pode causar confusão, vômitos e sonolência. Mas em casos graves, a criança pode parar de respirar.

Lopez disse que 3.266 casos relacionados a desinfetante para as mãos com crianças pequenas foram relatados aos centros antivenenos em 2010. Em 2014, o número aumentou para 16.117 casos.

Com informações do site O Globo

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário