fbpx
Crime organizado preocupa mais que terrorismo, diz analista

A um mês da abertura dos Jogos Olímpicos, o Rio ainda vem tentando responder a questionamentos sobre sua capacidade para sediar o maior evento esportivo do mundo. Além da estrutura para os atletas e turistas, uma das preocupações é sobre a possibilidade de ataque terrorista.

Em entrevista à DW Brasil, o especialista em terrorismo David Kilcullen, ex-estrategista-chefe de Antiterrorismo do Departamento de Estado dos EUA, afirma que o Brasil será capaz de prover a segurança necessária aos visitantes durante os Jogos. Kilcullen, no entanto, alerta que a crise política no País pode prejudicar a coordenação dos trabalhos em âmbitos estadual, municipal e federal.

Embora ressalte que terroristas “sempre encontram uma desculpa” na escolha do alvo, o australiano explica que o Brasil não reúne as mesmas condições de exclusão social de comunidades muçulmanas como países da Europa Ocidental, que facilitam o recrutamento por parte do “Estado Islâmico”.

“Não acho que o Rio seja mais alvo do que qualquer outra cidade que tenha sediado Jogos”, afirma. “Eu estaria mais atento à população nas favelas e ao crime organizado e à possibilidade de fecharem linhas de transporte de acesso aos locais das competições.”

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

2 thoughts on “Crime organizado preocupa mais que terrorismo, diz analista

  1. Aí vão investir na segurança só por causa das Olimpíadas? Nos dias normais e no restante do país, o governo deixa a criminalidade correr solta, desenfreada e ainda corta orçamentos. É ou não é para dizimar a população?

Deixe uma resposta