Cunha critica Moro e se defende, “minha prisão é um troféu”

Ex-presidente da Câmara dos Deputados afirma que sua prisão é ilegal

Brasília – O deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB), preso em Curitiba na Operação Lava Jato, afirmou ao jornal Estadão que sua prisão é ilegal. Ele impetrou um pedido de liberdade no Supremo Tribunal Federal (STF), que ainda não foi julgado e afirmou estar preso “por um decreto injusto, o qual contesto através de habeas corpus e da reclamação ao Supremo Tribunal Federal, já que não houve qualquer fato novo para ensejar uma prisão, salvo a necessidade de me manter como troféu”.

  • CLIQUE AQUI para ler a íntegra do pedido de liberdade de Cunha

Ainda de acordo com Cunha, sua detenção é uma afronta a lei nº 12.043/11, que estabelece que antes da prisão preventiva existam as medidas cautelares alternativas.

o ex-parlamentar lembrou que um dos fundamentos de sua prisão veio de proposta do Ministério Público -prisão preventiva para evitar a dissipação patrimonial – incluída no chamado pacote anticorrupção.

Essa medida, todavia, já foi rejeitada pela Câmara.

Ele ainda criticou o juiz Sérgio Moro, ao afirmar que “para justificar sua decisão (o juiz), vale-se da expressão “garantia da ordem pública”, sem fundamento para dar curso de legalidade ao ato ilegal. Isso, afinal, tornou-se mero detalhe em Curitiba, já que basta prender para tornar o fato ilegal em consumado”.

E há mais inocentes na cadeia, segundo ele:

Convivendo com outros presos, tomo conhecimento de mais ilegalidades -acusações sem provas, por exemplo, viram instrumentos de culpa. A simples palavra dos delatores não pode ser a razão da condenação de qualquer delatado.

O Supremo deveria ter julgado o recurso de Cunha na última quarta-feira, mas foi adiado.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta