fbpx
Cunha formaliza criação da CPI do BNDES

Comissão pretende investigar os empréstimos secretos concedidos pelo banco a outros países e os repasses feitos a empresas de fachada que foram alvo de denúncia na Lava Jato

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), formalizou na madrugada desta quinta-feira a criação da CPI do BNDES. Sob o comando do PMDB, o colegiado deve iniciar os trabalhos já na manhã de hoje.

A CPI do BNDES pretende apurar os empréstimos secretos concedidos pelo banco a outros países, como Angola e Cuba, e os repasses feitos a empresas de fachada que foram alvo de denúncia na operação Lava Jato. Entre 2003 e 2014, o BNDES concedeu financiamentos de pelo menos 2,4 bilhões de reais a essas empreiteiras.

 

A eleição do comando do colegiado ocorrerá nesta manhã. Em um acordo costurado entre o presidente da Câmara e o líder do PMDB, deputado Leonardo Picciani (RJ), o deputado de primeiro mandato Marcos Rotta (PMDB-AM) foi indicado para a presidência. A relatoria deve ficar sob a responsabilidade do oposicionista Carlos Melles (DEM-MG).

A CPI será composta por 27 titulares e tem previsão inicial de 120 dias de duração. Cunha ainda formalizou nesta madrugada a criação da CPI de maus-tratos a animais e a de crimes cibernéticos.

Veja

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta