De férias no Brasil, jogador de futebol é assassinado em tentativa de roubo

O jogador de futebol Johnson Kendrick Feliciano da Costa, de 24 anos, morreu após ser baleado no rosto durante tentativa de assalto em Vicente de Carvalho, em Guarujá, na manhã desta sexta-feira (7). Kendrick, como era conhecido, nasceu na Cidade e era atacante do Al-Gharafa Sports Club, do Catar.

Ele vestia a camisa do time desde janeiro de 2016. A Reportagem apurou que pelo menos um suspeito é responsável pelo crime.

De moto, o ladrão teria se aproximado do jogador e pedido a corrente de ouro que ele usava. Sem conseguir consumar o roubo, o suspeito efetuou o disparo na cabeça da vítima, fugindo na sequência.

Kendrick estava de férias e caminhava a pé por uma rua do bairro Pae Cará no momento da abordagem. O bandido não foi localizado.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Guarujá informou que Kendrick foi atendido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) no local do crime e encaminhado, posteriormente, ao Pronto-Socorro de Vicente de Carvalho, mas “não resistiu ao ferimento e chegou em óbito no local”.

O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de Guarujá.

Currículo

Kendrick cresceu no bairro Perequê, em Guarujá, onde, desde pequeno, sempre se interessou por futebol. Quando criança teve aulas com o professor Afonsinho, profissional conhecido que jogou com Pelé, Zito e Pepe.

Há 7 anos no Oriente Médio, Kendrick não chegou a jogar no Brasil. Passou um tempo na Turquia, depois voltou para o Brasil, mas logo em seguida foi para o Catar. Jogou no Muaither Sports Club, time de segunda divisão daquele país. O atacante se destacou e ajudou a colocar o time na primeira divisão. Na época, foi jogador revelação.

Atualmente, jogava no Al-Gharafa Sports Club. O jovem tem uma história de dificuldades financeiras, como a maioria dos jogadores de futebol. Adorava passar as férias em Guarujá e reencontrar os amigos do Perequê.

A Tribuna

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário