Defensoria de Rondônia joga uma caçamba de livros no lixo

Diversos livros da área jurídica foram jogados fora na última sexta-feira

O Brasil é de fato um país de contrastes. Enquanto milhares de estudantes não conseguem ter acesso a livros jurídicos devido aos preços elevados, o poder público joga fora não apenas livros, mas dinheiro público. Em Rondônia a Defensoria Pública resolveu fazer jus ao ditado “brasileiro não gosta de ler”. E levaram isso à sério. Na última sexta-feira, uma caçamba de livros da área jurídica foi jogada no lixo.

Centenas de ‘vade mecuns’ (apanhados de leis brasileiras) e outros títulos da área jurídica foram amontoados em uma lixeira nos fundos da Defensoria. Pessoas que passavam no local viram, fotografaram e mandaram às imagens à PAINEL POLÍTICO. Pelas fotos, é possível ver que os livros estão novos e poderiam ser reaproveitados em escolas ou mesmo em bibliotecas.

ATUALIZADA ÀS 10H04MIN (HORÁRIO DE BRASÍLIA) – O defensor público Marcus Edson de Lima declarou que os livros são de uma faculdade particular, que não são da defensoria.

Veja:

Livros foram jogados no lixo
Livros foram jogados no lixo
Livros foram jogados no lixo
Eles estavam lacrados, muitos com plásticos
Livros foram jogados no lixo
Livros foram jogados no lixo
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

16 thoughts on “Defensoria de Rondônia joga uma caçamba de livros no lixo

  1. Acho melhor mudar esse título. Esta causando confusão mas redes sociais e pode prejudicar a DPE.

  2. Nada disso! É dinheiro! Meu imposto está aí! Pode ser desatualizado que for, tem muita gente que precisa, não é bem assim não, eu me importo com meu dinheiro!

  3. Não seria preferível que descarte ao invés de prestar o serviço ao usuário com livros desatualizados? Livros jurídicos no Brasil, ao menos todo semestre necessita atualização. Doar a escolas ou qualquer outra instituição de ensino seria um desserviço. Não seja leviano.

Participe do debate. Deixe seu comentário

%d blogueiros gostam disto: