Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Delator afirma ter pago R$ 4,8 milhões em propina a governador do Rio

Luiz Fernando Pezão teria recebido o dinheiro em cinco pagamentos entre 2014 e 2015. O dinheiro viria de caixa dois da Fetranspor

0

Em delação premiada, um funcionário do doleiro Álvaro José Novis, apontado como operador do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, disse ter pago R$ 4,8 milhões em propina para Luiz Fernando Pezão quando este já era governador do estado. As informações foram divulgadas pelo “Bom Dia Brasil”, da TV Globo.

Pezão aparece na delação de Edimar Moreira Dantas, homem responsável por gerenciar uma conta criada para o pagamento de propinas. Segundo o delator, o dinheiro vinha de caixa dois da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), administrado pelo conselheiro da entidade José Carlos Lavouras.

O nome Pé Grande, que consta das planilhas entregues aos procuradores, seria uma referência ao governador fluminense. Edimar Dantas revelou que o dinheiro era entregue a um intermediário, que, segundo as investigações, seria Luís Carlos Vidal Barroso, assessor de Pezão.

No controle do doleiro Álvaro José Novis, há cinco pagamentos a Pé Grande, feitos de 22 de julho de 2014 a 8 de maio de 2015, num total de R$ 4,8 milhões. Pezão assumiu o governo do Rio em abril de 2014, com a renúncia de Cabral.

Luiz Fernando Pezão afirmou nunca ter se encontrado com Edimar Moreira Dantas e disse jamais ter tratado de pagamento ou recebimento de recursos ilícitos.

A Fetranspor disse desconhecer o teor de uma delação referente a fatos supostamente ocorridos antes da posse da atual administração.

As defesas de Álvaro José Novis, José Carlos Lavouras e Luís Carlos Vidal Barroso não foram encontradas pela reportagem da TV Globo.

Fonte: metropoles

Comentários
Carregando