Delator da Lava Jato é alvo de nova operação da PF

Agentes encontraram obras de arte roubadas do Museu Imperial no escritório do ex-presidente da Unipar Carbocloro.

A operação Antiquários, deflagrada pela Polícia Federal na manhã de hoje, esbarrou em um personagem da Lava Jato.

A PF está na rua para combater um esquema de furto de obras de arte do Museu Imperial de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Não há mandados de prisão, apenas de buscas.

Um dos endereços onde os agentes encontraram peças roubadas é o do escritório do ex-presidente da Unipar Carbocloro Frank Geyer Abubakir, em São Paulo.

A família do executivo se notabilizou pelas cerca de 4 mil de obras de arte que mantinha na Casa Geyer, no Rio de Janeiro. O acervo completo foi doado justamente ao Museu de Petrópolis, em 1999.

E o que a PF investiga na operação Antiquários? As suspeitas de que parentes de doadores tenham furtado parte do acervo que seus antepassados deram ao museu.

Abubakir já havia se enrolado com a Polícia no ano passado. Ele fechou um acordo de delação premiada e contou ter pago R$ 20 milhões de propina a Mario Negromonte e ao deputado José Janene, morto em 2010.

Pelo acordo, o ex-executivo da Unipar se comprometeu a devolver R$ 32 milhões de multa compensatória. Resta saber se nesse bolo estariam os itens roubados do museu fluminense.

 

Deixe uma resposta