fbpx
Delegacias do DF estão fechadas em ato contra acúmulo de função

Segundo corporação, 21 das 31 delegacias circunscricionais são afetadas

O G1 informa que 21 delegacias do Distrito Federal amanheceram fechadas nesta quinta-feira (15) porque, segundo o sindicato dos policiais civis, não possuem equipe completa – com delegado, escrivão e agente.  De acordo com a entidade, a medida visa a impedir o acúmulo de função dentro das unidades. A decisão do fechamento, entre 19h e 12h do dia seguinte, foi acordada em assembleia na quarta (14). Ao todo, o DF tem 31 delegacias circunscricionais.

Segundo a corporação, as ocorrências das delegacias são direcionadas para as Centrais de Flagrantes mais próximas. Os postos avançados da Polícia Civil da Estrutural e Candangolândia também ficam fechados.

Os policiais reivindicam reajuste de 37% nos salários e equiparação com a Polícia Federal.Eles estão em operação-padrão – também chamada de operação PCDF legal – desde julho. Com isso, investigações, intimações, protocolo de documentos e diligências ocorrem de forma mais restrita.

“Não adianta ocupar espaços sem pessoas. Não dá para deixar os agentes sozinhos. Temos que valorizar nossos recursos humanos”, afirmou o presidente do Sindicato dos Policiais Civis do DF, Rodrigo Franco.

O dirigente sindical afirma que o ato tem o intuito de denunciar o “sucateamento das delegacias do DF”. Segundo ele, não há prazo para que as delegacias voltem a funcionar em horário integral.

“Hoje nós temos 22 delegacias do DF que possuem somente agentes de polícia e que trabalham sem a presença de um delegado ou escrivão. Quando esses agentes estão sozinho, acabam trabalhando no papel que não é o de origem. Portanto, com desvio de função, isso é ilegal”, afirmou Franco. O número foi reduzido no fim da noite.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta