Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Deputado diz que gostaria de ver mãe de ministro “de pernas abertas”

Discussão entre Givaldo Carimbão (PHS-AL) e Sérgio Sá Leitão, ministro da Cultura, ocorreu em audiência sobre exposições de arte com nudez

0

Em uma audiência pública convocada pelas comissões de Cultura e de Segurança Pública da Câmara dos Deputados para discutir exposições artísticas com teor sexual na manhã desta quarta-feira (18/10), o líder da bancada católica da Câmara dos Deputados, Givaldo Carimbão (PHS-AL), afirmou que gostaria de ver a mãe do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão (foto), “de pernas abertas”. Sá Leitão, que participava como convidado da sessão, reagiu e chegou a se levantar para sair do plenário. A reunião foi encerrada após o bate-boca.

“Tenho duas mães. Minha Maria de Deus, que me gerou pelo ventre, e, na minha fé, tenho Maria Santíssima. Queria que fosse com a mãe do ministro, mijando na cabeça dela. Maria é minha mãe, é minha mãe. Queria pegar a mãe do ministro e com as pernas abertas, como está aqui nessas fotos, para ver se ele gostava. Pegar sua filha”, afirmou Carimbão, aos gritos.

Em resposta, o ministro levantou-se da mesa para retirar-se da sessão. “Ah, não quer, não? Quer ser ministro para se encobrir?”, retrucou o deputado. Nesse momento, Sá Leitão reagiu: “Eu não admito. O senhor ofendeu a minha mãe, a minha falecida mãe”. Carimbão continuou afirmando que ele também se sentia ofendido. “Maria é minha mãe. O senhor ofendeu a minha mãe e a mãe de vários brasileiros”, disse.

O presidente da sessão, deputado Alberto Fraga (DEM-DF), pediu que a discussão fosse retirada das notas taquigráficas. “Realmente, foi uma frase muito mal colocada”, afirmou Fraga, que, em seguida, pediu o encerramento da reunião.

Em nota divulgada nesta quarta, o Ministério da Cultura (MinC) afirmou que o ministro “respondeu com serenidade a todas as perguntas e compartilhou as informações pedidas”. O texto também pontua que “houve colocações ofensivas dirigidas ao ministro, sem qualquer relação com o objeto ou com o tom do conjunto da audiência”.

Segundo o MinC, os deputados Alberto Fraga e Thiago Peixoto (PSD-GO), presidente da comissão de Cultura, ligaram para Sá Leitão e pediram desculpas em nome da comissão.

Mais bate-boca
Convocada após as polêmicas envolvendo as recentes mostras em Porto Alegre e São Paulo, criticadas por suposto incentivo à pedofilia e à zoofilia, a audiência pública foi marcada ainda pela discussão entre os deputados Delegado Éder Mauro (PSD-PA) e Gláuber Rocha (PSOL-RJ). Os dois parlamentares tiveram de ser separados pela Polícia Legislativa após um bate-boca. Nesse momento, o presidente da sessão, Alberto Fraga, chegou a comentar: “No meu tempo, eu resolvia isso na bala. Agora tem de falar”.

Fonte: metropoles

Comentários
Carregando