Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Luizinho Goebel pede que governo absorva custo de servidores cedidos às prefeituras

0

Segundo o parlamentar, se as prefeituras tiverem que arcar com as despesas de servidores, a administração ficará inviável

O deputado Luizinho Goebel (PV) voltou a defender os servidores do Estado da Saúde, que hoje estão cedidos aos municípios de Rondônia sem ônus para as prefeituras. O pedido deve-se ao decreto do governador nº 21.544 de 9 de janeiro de 2017, que mantém a cedência dos servidores da saúde, mas agora com ônus para as prefeituras.

Segundo o deputado isto inviabilizará e dificultará ainda mais o atendimento médico nos municípios. “Entendo que são servidores do Estado, mas infelizmente só temos hospitais regionais em Porto Velho e Cacoal e os hospitais estaduais de Buritis e São Francisco, e temos que atender a demanda do Estado todo. Por isso o governador não pode neste momento econômico difícil jogar a conta para as prefeituras, porque quem mais irá sofrer é a população”, afirmou.

Ainda segundo o deputado tem servidores com mais de 15 anos prestando serviço no mesmo município e com salários pequenos que tornaria difícil este processo de mudança. “Vamos trabalhar com a hipótese de um servidor de Costa Marques ter que se mudar para Porto Velho, olha a diferença de valor e custo de vida, não podemos deixar isso acontecer”, disse.

Outra preocupação é quanto à qualidade do atendimento de saúde nos municípios. “Imagina Vilhena entre outros municípios que tem muitos servidores cedidos, neste momento ter que absorver esta folha de pagamento é praticamente impossível, terão que liberar os servidores e isto vai prejudicar o atendimento nos municípios e a população não pode jamais ser prejudicada”, aponta Luizinho.

O deputado reforça o seu compromisso com os servidores e com a saúde de Rondônia. “Quero aqui reforçar que vou continuar dialogando com o governo a fim de defender o interesse dos servidores e principalmente da população que é atendida pela saúde do Estado”, finalizou.

Comentários
Carregando