Deputados de oposição são agredidos em protestos na Venezuela

Parlamentares foram recebidos com violência por grupos pró-governo e por membros da Guarda Nacional Bolivariana

Deputados da Mesa da Unidade Democrática (MUD), coalizão de partidos de oposição da Venezuela, foram à sede do Tribunal Supremo de Justiça, em Caracas, nesta quinta-feira, para protestar contra a medida que retira os poderes da Assembleia Nacional. Os parlamentares foram agredidos por apoiadores do governo de Nicolás Maduro e entraram em confronto com a Guarda Nacional Bolivariana.

“Depois de acompanhar o pronunciamento do presidente da Assembleia Nacional, Julio Borges, deixei o Congresso e fui com outros cinco deputados até o Supremo Tribunal de Justiça e fomos vítimas de uma emboscada. Os guardas e milicianos chavistas começaram a nos agredir com seus escudos e cassetetes”, disse a VEJA Mario Massone, advogado e assessor jurídico da Comissão Permanente de Política Exterior da Assembleia Nacional (na foto, aparece de terno, ao centro).

O deputado Carlos Paparoni, do partido Primero Justicia, foi empurrado ao chão violentamente por um membro das forças de segurança, após discussão. “Hoje mais uma vez demonstram a covardia perante o povo venezuelano pelo simples fato de exigir eleições”, escreveu o parlamentar no Twitter.

Juan Requesens, líder estudantil e também deputado pelo Primero Justicia, foi atacado por simpatizantes do governo e teve sua camisa rasgada. “Não vamos acatar uma sentença que viole a vontade do povo”, disse, enquanto era impedido de chegar à sede do TSJ por membros da Guarda Nacional. Segundo o jornal El Nacional, jornalistas que registravam o que ocorria no local também foram agredidos por manifestantes pró-Maduro.

 

 

Painel Político, principal fonte de informações políticas de Rondônia. Com noticiário completo sobre economia, variedades e cultura.

Deixe uma resposta