DER afirma que puniu envolvidos no caso da comissionada que morava na Bolívia

O Departamento de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) enviou nota nesta quarta-feira, 11, informando ter aberto processo administrativo e que concluiu as investigações sobre o caso da servidora comissionada que vivia na Bolívia onde cursava medicina e que “garantiu o ressarcimento ao erário”.

De acordo com o DER, o relatório das investigações foi encaminhado ao Ministério Público Estadual (MPE) e ao Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Pela investigação, Fabiana de Vito esteve nomeada no DER de janeiro a abril de 2015 e recebeu o total de R$ 6.152,98, incluindo produtividade.

LEIA TAMBÉM: Comissionada do governo que mora na Bolívia recebe até por produtividade

Fabiana de Vito e seu chefe imediato na usina de asfalto de Jaru, responsável por abonar a folha de frequência, foram punidos solidariamente a devolver os valores recebidos. O chefe de Fabiana foi punido ainda com o desconto de 50% de seu salário relativo a um mês de trabalho.

De acordo com o DER “o objetivo do processo investigatório da Corregedoria deste órgão foi alcançado, vez que o ressarcimento ao erário foi assegurado”.

Fabiana de Vito foi nomeada dia 5 de março de 2015, retroativo ao dia 5 de janeiro de 2016, e foi exonerada dia 7 de maio de 2015.

News Reporter
Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta