fbpx
Diarista acusada de matar fazendeiro é condenada a 20 anos de prisão

Crime teria sido encomendado pelo genro da vítima em briga por herança

Um crime de grande repercussão ocorrido no ano passado em Maringá, no Norte-Central do estado, teve parte de seu desfecho nesta segunda-feira, 29 de agosto: uma mulher que trabalhava de diarista na casa do agropecuarista Garcia Pereira Marques, acusada de matá-lo com seis tiros, foi condenada a 20 anos de prisão em júri popular.

A ré recebeu pena de 20 anos de reclusão por homicídio duplamente qualificado e por ser contra vítima idosa. De acordo com a denúncia apresentada pelo MPPR, a vítima e seu irmão tinham uma relação conturbada, principalmente por questões relacionadas a bens e dinheiro envolvendo uma herança deixada pelo falecido pai.

Em novembro de 2015, a convivência entre os dois teria piorado porque o agropecuarista, segundo a denúncia, descobriu que o irmão havia movimentado uma quantia superior a R$ 1 milhão das contas dos genitores, e ameaçou denunciá-lo à Receita Federal caso ele não devolvesse o dinheiro.

Para se livrar da pressão, o irmão teria encomendado ao genro da vítima a sua morte, mediante o pagamento de R$ 1 milhão proveniente da venda de uma propriedade que pertencia à família. O genro chamou, então, duas mulheres para executar o crime: a diarista da casa (que tinha curso de segurança) e uma amiga dela, prometendo-lhes uma recompensa de R$ 20 mil e R$ 2,5 mil, respectivamente.

O genro ainda teria interesse no crime porque, conforme a denúncia, era casado com a única filha da vítima e herdaria todos seus bens. O combinado entre os envolvidos era chamar o agropecuarista para sair e simular um assalto.

No dia 30 de abril de 2016, de forma dissimulada, o genro convidou a vítima para ir até uma farmácia e também comprar um lanche, indo de carro até um local previamente combinado, onde a diarista e sua amiga esperavam em outro veículo.

Elas seguiram o primeiro carro até um local afastado, na zona rural da cidade, e a diarista disparou seis tiros contra o agropecuarista, que morreu na hora.Todos os acusados de envolvimento na morte do fazendeiro estão presos. A amiga da diarista tem julgamento marcado para o dia 13 de setembro. O caso dos outros dois réus (irmão da vítima e genro) ainda não foi julgado porque ambos recorreram à instância superior.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta