fbpx

O feriado para o governo Dilma foi de tramas, tramóias e articulações. Nesta terça-feira dois ministros do STF, Rosa Weber e Teori Zavaski concederam liminar (decisão provisória) para partidos governitas (PT e PC do B) suspendendo os ritos de impeachment, que teriam início essa semana na Câmara dos Deputados.

Ao mesmo tempo, segmentos da imprensa bateram pesado no presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que está sob os holofotes da Lava-Jato, após ter sido revelado que ele tem uma bolada em contas na Suíça. Cunha é acusado de receber propina em contratos de um navio-sonda da Petrobrás.

Com essas manobras, o governo conseguiu um fôlego e deve começar a esfriar os processos de impeachment. O assunto tem que ser tratado pelo Pleno do STF. Enquanto isso não acontece, o Congresso não pode tocar no assunto.

No TSE ficou decidido que todos os processos contra Dilma e Temer serão unificados, o que quer dizer que, dependendo do relator, as investigações referentes a campanha podem esfriar de vez. Se o relator for o mesmo de Confúcio Moura, Dilma Roussef pode começar a comemorar.

PAINEL POLÍTICO acha que o impeachment já era. Corram para as montanhas, porque Dilma e PT, com ajuda de todos os amigos da Corte vão continuar mandando no país que vai virar uma república bolivarista.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta