Dilma Rousseff pode disputar Senado Federal pelo Piauí

Mineira de nascença e gaúcha no domicílio eleitoral, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) pode se candidatar ao Senado pelo Piauí. É o que aponta o jornalista Josias de Souza, do portal “Uol”. De acordo com ele, a petista vem discutindo a alternativa sem alarde, próximo a seu núcleo de amigos. Em entrevistas recentes, a ex-presidente deixou em aberto a possibilidade de tentar uma vaga como senadora.

Os primeiros rumores davam conta de que a disputa seria por Minas Gerais. Embora petistas mineiros que também almejam a vaga tenham descartado a possibilidade, caso do secretário de Governo Odair Cunha, Dilma, em entrevista um jornal de Minas, não quis descartar a hipótese e afirmou que ainda é cedo para essa discussão.

No Rio Grande do Sul, o interesse de Dilma Rousseff (PT) também esbarraria em interesses de aliados locais. No caso gaúcho, já há uma decisão da legenda de apoiar a candidatura do atual senador Paulo Paim, que tentará a reeleição.

Outra possibilidade para Dilma Rousseff seria tentar a vaga pelo Rio de Janeiro, onde tem morado atualmente. Por lá, porém, a associação do PT com os governos de Sérgio Cabral, preso por corrupção, deixariam a tarefa mais difícil.

No Piauí, Estado com grande concentração de beneficiados do Bolsa Família, a situação poderia ser mais favorável. Se disputar mesmo pelo Piauí, Dilma Rousseff repetirá a estratégia do peemedebista José Sarney, que fez carreira política no Maranhão e tornou-se senador pelo Amapá após sair da Presidência da República.

Alvo de inquéritos oriundos da operação Lava Jato, a ex-presidente poderia se beneficiar do foro privilegiado caso seja eleita, evitando que seus casos permaneçam na primeira instância, sobretudo nas mãos do juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que tem dado tramitação célere aos casos envolvendo ilícitos apurados na operação.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário