fbpx
Dilma telefona para Lula e manifesta solidariedade após ação da PF

A presidente Dilma Rousseff telefonou nesta sexta-feira (4) para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para prestar solidariedade ao petista após ele ter sido levado pela Polícia Federal para prestar depoimento em São Paulo.

Na manhã desta sexta, a Polícia Federal deflagrou nova etapa da Operação Lava Jato, cujo foco era o ex-presidente. Além de levar Lula para depor, em um posto da PF no aeroporto de Congonhas, os policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do ex-presidente, em São Bernardo do Campo (SP), na sede do Instituto Lula, na capital paulista, e no sítio que era usado por ele em Atibaia (SP).

Dilma ligou para Lula quando o ex-presidente chegou à sede do Diretório Nacional do PT, após prestar depoimento. O ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner, homem de confiança dos dois, acompanhou a ligação, que foi feita do Palácio do Planalto.

Segundo interlocutores da Presidência, durante o telefonema, Lula avisou a petistas que estavam ao redor dele que a presidente Dilma estava falando e eles a aplaudiram pelo gesto.
Mais cedo, antes de telefonar para Lula, Dilma se reuniu com seus ministros mais próximos: Jaques Wagner, José Eduardo Cardozo (Advocacia-Geral da União), Edinho Silva (Comunicação Social), Ricardo Berzoini (Secretaria de Governo) e o recém-empossado Wellington Lima e Silva (Justiça).

Conforme assessores do Planalto, conselheiros de Dilma avaliam sugerir a ela que vá a São Paulo se encontrar com Lula. Esses mesmos conselheiros, contudo, ponderam que seria difícil montar o esquema de segurança necessário para que o encontro possa ocorrer, já que a condução coercitiva do ex-presidente pela PF gerou “comoção social” entre defensores e opositores de Lula.

‘Exagero’

Na manhã desta sexta, a presidente Dilma recebeu no Planalto prefeitos para discutir itens da pauta econômica. Após o encontro, o prefeito de Porto Alegre (RS), José Fortunati, disse que, na reunião, Dilma chamou de “exagero” a ação da PF.

Além disso, declarou o prefeito de Manaus (AM), Arthur Virgílio, ela avaliou como “desnecessária” a operação que levou Lula a prestar depoimento.
Investigação

Em um comunicado divulgado à imprensa, o MPF destacou que Lula está sendo investigado porque há indícios de que ele recebeu dinheiro desviado da Petrobras por meio da execução de reformas no apartamento triplex do Guarujá (SP) e do sítio de Atibaia.

Os procuradores ressaltaram ainda que há evidências de que o petista recebeu móveis de luxo nos dois imóveis e teve a armazenagem de bens em uma transportadora bancada pela construtora OAS, uma das empreiteiras investigadas na Lava Jato.

G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta