Dinheiro de Mosquini não aparece nas prestações de contas de Lebrão e Edson Martins

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Durante as buscas e apreensões realizadas na Operação Ludus, os policiais encontraram na casa de Lúcio Mosquini, ex-diretor do DER e na época recém-eleito deputado federal, um manuscrito com repasses no valor total de R$ 347 mil aos candidatos Eurípedes Lebrão (PTN) e Edson Martins de Paula (PMDB), que teriam sido feitos por Mosquini durante a campanha eleitoral. Ocorre que, analisando o sistema de prestação de contas de Lebrão e Martins, os valores que possivelmente teriam sido repassados por Lúcio Mosquini, não aparecem.

Descrição do manuscrito encontrado na casa de Mosquini
Descrição do manuscrito encontrado na casa de Mosquini

Outra situação que chamou a atenção dos promotores foi a origem do dinheiro de Mosquini, que declarou em sua prestação de contas, um patrimônio de mais de R$ 2,6 milhões, sendo que em contra possuía menos de R$ 7 mil. Mosquini também declarou ter gasto em sua campanha milionária, R$ 952 mil, sendo que Marinha Raupp, por exemplo, que está em seu quinto mandato como deputa federal e tem trabalho reconhecido em todo o Estado, gastou R$ 1.795.219,10 para ser reeleita, ou seja, quase o dobro em relação a um ilustre desconhecido.

Leia também:
GRAVAÇÃO ENTRE MOSQUINI E CONFÚCIO COMPROVA QUE ESPAÇO ALTERNATIVO ERA “OBRA ELEITOREIRA”
EMPRESAS QUE GANHARAM LICITAÇÃO DO “ESPAÇO” NÃO TINHAM COMO EXECUTAR A OBRA
MOSQUINI DEVIA MAIS DE R$ 100 MIL A TESTONI
MOSQUINI TERIA REPASSADO R$ 334 MIL PARA LEBRÃO E EDSON MARTINS
POLÍCIA ENCONTROU CHEQUE DE MOSQUINI EM POSTO DE TESTONI

Além de ter sido preso na Operação Ludus acusado de ter cometido uma série de irregularidades nas obras do Espaço Alternativo, em Porto Velho, Mosquini também está sendo investigado pelo Ministério Público do Estado por enriquecimento ilícito.

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta