Disputar uma vaga de emprego atualmente é mais difícil que passar no vestibular de medicina

Pesquisa da Page Personnel apontou que disputar uma vaga de analista fiscal pleno é mais acirrado que passar no vestibular de medicina da USP; entenda

A crise econômica e aumento no desemprego tornam a disputa por uma vaga de emprego extremamente acirrada. Voltar ao mercado de trabalho tornou-se tão complicado quanto passar no vestibular, uma vez que mais profissionais disputam uma mesma oportunidade.

Comparação feita pela empresa de recrutamento Page Personnel apontou que conquistar uma vaga de emprego de analista fiscal pleno, que hoje chegou a 210 candidatos por vagas, é mais difícil que passar no vestibular de Medicina da USP em Ribeirão Preto, sendo que 75,58 candidatos brigam por uma mesma cadeira dentro da universidade.

“A crise torna a disputa por uma vaga mais acirrada, já que há alta oferta de mão de obra disponível no mercado. Quantos mais profissionais estiverem desempregados , maior será a quantidade de candidaturas e a concorrência. Há muita gente qualificada em busca de recolocação e outro contingente procurando melhores oportunidades”, explicou o gerente da empresa de recrutamento, Lucas Oggiam.

O especialista listou ainda as áreas e cargos onde a disputa por uma vaga é mais intensa:

TI

Cargo: desenvolvedor mobile

Candidatos por vaga: 80

Motivos para a procura: crescimento de startups e desenvolvimento de aplicativos

Salário médio: R$ 10 mil

Cargo: analista de Infraestrutura

Candidatos por vaga: 150

Motivos para a procura: retomada do mercado e posição que existe em todos os níveis e segmentos de empresa

Salário médio: R$ 5 mil

Supply Chain

Cargo: comprador generalista

Salário médio: R$ 8, 25 mil

Candidatos por vaga: 50

Motivos para a procura: cada vez mais as empresas estão buscando compradores versáteis que possam atender a qualquer tipo de demanda. Profissional que entende e domina a rotina de compras, tem chances de concorrer.

Cargo: analista de Comércio Exterior

Salário médio: R$ 5, 25 mil

CDD/VAGA: 100

Motivos para a procura: Gradual retomada da economia motiva empresas a buscarem profissionais com conhecimentos em diversos modais e experiência em importação e exportação.

Finanças

Cargo: auditor pleno

Candidatos por vaga: 60

Salário médio: R$ 4 mil

Motivo para a procura: profissionais que não estão satisfeitos por não terem qualidade de vida e não terem um salário atrativo nas grandes empresas de auditoria/consultoria.

Cargo: analista fiscal pleno

Candidatos por vaga: 210

Salário médio: R$ 4 mil

Motivo para a procura: há muitos profissionais desempregados em busca de oportunidade. Maioria com nível de Inglês insatisfatório em relação às exigência do mercado.

Marketing

Cargo: analista de Marketing Digital Pleno

Candidatos por vaga: 120

Salário médio: R$ 4 mil

Motivos para a procura: muitos profissionais formados em áreas como “comunicação social”, “marketing” e “publicidade e propaganda” se atraem por essa posição pela expansão do mundo digital e tecnológico. Saem na frente os profissionais que estão antenados no universo das mídias sociais e tenham fluência em segundo idioma.

Vendas

Cargo: vendedor interno em empresas de tecnologia e software

Candidatos por vaga: 150

Salário médio: R$ 5,5 mil (entre fixo e variável)

Motivos para a procura: empresas de tecnologia têm se destacado no mercado e contratado cada vez mais profissionais da área comercial que tenham afinidade com o mundo de software/hardware. Diferenciam-se os profissionais que tenham um conhecimento mais técnico deste universo, além da fluência no segundo idioma.

Caso esteja a procura de emprego em uma das áreas mencionadas, turbine o currículo e prepare-se para a seleção mais complicada de sua vida.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário