Documento indica espionagem no Ministério de Minas e Energia

In Política
Espalhe essa informação

Uma apresentação da Agência Canadense de Segurança em Comunicação (CSEC, na sigla em inglês) obtida com exclusividade pelo Fantástico mostra que o Ministério de Minas e Energia foi alvo de espionagem. Na mira do órgão estava a rede de comunicações da pasta – telefonemas, e-mails e uso da internet –, que, segundo o documento, foi mapeada em detalhes.

A apresentação foi entregue por Edward Snowden – ex-analista contratado da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos EUA, que revelou as ações de inteligência americana e hoje está exilado na Rússia –, ao jornalista americano Glenn Greenwald, coautor da reportagem junto com Sônia Bridi.

Ela mostra como funciona um programa de computador, chamado Olympia, que faz um mapeamento das comunicações telefônicas e de computador do ministério, incluindo e-mails. O objetivo é descobrir os contatos realizados para outros órgãos, dentro e fora do Brasil, além de empresas como a Petrobras e a Eletrobrás.

Há, por exemplo, registro de ligações telefônicas feitas do Ministério para outros países, como o Equador, com chamadas frequentes para a Organização Latino-Americana de Energia (Olade). No Peru, o número chamado é o da Embaixada do Brasil. Pela internet, a agência canadense acessou a comunicação entre os computadores do ministério e computadores de países do Oriente Médio, da África do Sul e até do próprio Canadá.
A ferramenta também identificou números de celulares, registro dos chips e até marcas e modelos dos aparelhos. Um deles é usado pelo departamento internacional do Ministério. Um dos usuários identificados, o embaixador Paulo Cordeiro – que era baseado no Canadá e hoje trabalha no departamento de Oriente Médio do Ministério das Relações Exteriores – não quis dar entrevista.
A apresentação canadense foi exibida em junho de 2012 numa conferência em junho de 2012 que reuniu analistas ligados a agências de espionagem de cinco países, do grupo conhecido como Five Eyes (Cinco Olhos, em português): Estados Unidos, Inglaterra, Canadá, Austrália e Nova Zelândia.
Não há indicação de que o conteúdo das comunicações tenha sido acessado, só quem falou com quem, quando, onde e como. A mesma apresentação, no entanto, sugere ao final que seja realizada também uma espionagem conhecida como “man on the side” (homem ao lado), em que toda informação que entra e sai da rede pode ser copiada.

 

Fonte:  G1, com informações do Fantástico

Deixe sua opinião via Facebook abaixo!

You may also read!

Coluna – Deputados “pró-Maurão” falam abertamente em traição contra o presidente da ALE

Espalhe essa informação Eles querem que Confúcio “feche logo com Acir” para “baixar a bola” do presidente; e ainda,

Read More...

MPT afirma que Greve Geral de sexta-feira é legitima e justa contra Reforma Trabalhista

Espalhe essa informação O MPT ainda reforça sua posição institucional contra as medidas de retirada e enfraquecimento de direitos

Read More...
Senadores articulam “meio-termo” para extinção de foro privilegiado

Senado aprova projeto que altera a Lei de Abuso de Autoridade; veja íntegra do texto

Espalhe essa informação O substitutivo, que tinha sido aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) pela manhã,

Read More...

Deixe uma resposta

Mobile Sliding Menu