fbpx
Duas mortes e um atleta em coma abalam o mundo do fisiculturismo

Esporte que trabalha o corpo sofreu três baques recentemente, com a morte de dois atletas. Outro está internado nos Estados Unidos

O mundo do fisiculturismo ficou abalado nos últimos dias com três tragédias, sendo que em duas delas os atletas envolvidos morreram – foram os casos da australiana Meegan Hefford e do sul-africano Sifiso Lungelo Thabete  Na outra, o norte-americano Rich Piana segue lutando pela vida e internado em coma profundo.

Thabete morreu ao tentar realizar uma acrobacia para animar a plateia durante uma competição na África do Sul. Ao dar um salto mortal para trás, caiu de mau jeito e teve o pescoço quebrado pelo impacto da queda. Ele era campeão mundial da Federação Internacional de Fisiculturismo (IFBF, na sigla em inglês) na categoria de 75 kg.

Problema metabólico

Há dois meses, a fisiculturista australiana  Meegan Hefford , de 25 anos de idade, morreu por conta de uma “dieta excessiva de proteínas”. Segundo informações da rede de TV CNN, a atleta tinha uma deficiência para metabolizar proteínas e sua dieta com teor elevado da substância acabou sendo fatal.

Meegan Hefford

Hefford foi encontrada desacordada em seu apartamento, no dia 19 de junho, e morreu no hospital. A mãe da jovem revelou que a dieta da filha era excessiva em proteínas e admitiu que encontrou vários potes de suplementos proteicos na cozinha da filha.

O famoso fisiculturista Rich Piana , de 46 anos de idade, teve um colapso enquanto estava em casa com sua namorada Chanel, na Florida, nos Estados Unidos. De acordo com o site “TMZ”, as autoridades encontraram 20 frascos de esteroides na residência, sendo que ele sofreu uma overdose e teve que ser levado às pressas para o hospital, onde segue internado em coma induzido, lutado pela vida.

Chanel disse à imprensa norte-americana que o namorado passou por uma batalha contra o vício de ópio, mas acreditava que estava “limpo”. A moça ainda afirmou que Rich Piana fazia uso de esteroides há mais de 20 anos.

É um esporte?

Sim, o fisiculturismo é um esporte. A modalidade, inclusive, foi aceita para estar na próxima edição dos Jogos Pan-Americanos de 2019, em Lima, no Peru, valendo medalhas – a inclusão foi definida durante reunião da ODEPA (Organização Desportiva Pan-Americana) em Doha, no Catar. Também conhecido como culturismo, ele premia o atleta que melhor molda seu corpo. Juízes avaliam volume, simetria, proporção e definição dos músculos.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta