Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Dúlcio, Padre Franco e César Cassol tem as piores classificações como prefeitos

0

Falastrão

O voo da Azul que não conseguiu aterrissar, na quarta-feira passada, devido a um temporal que caiu sobre Porto Velho, e foi desviado para Rio Branco, obrigou a empresa a acomodar os passageiros em hotéis. No translado entre o aeroporto e o hotel Holiday Inn, uma autoridade de plantão fez previsões inadequadas ao cargo que ocupa sobre resultados de processos em julgamentos do Tribunal Regional Eleitoral e ainda alfinetou um dos membros a quem jura ser amigo. Tudo testemunhado por mais duas pessoas que a empresa acomodou no mesmo táxi. Diz o adágio: “Quem fala demais dá bom dia a cavalo!”

OAB-RO

Os advogados da capital lotaram o clube da entidade no sábado passado para prestigiar o evento de reabertura da área de lazer com as modificações voluptuárias feitas pela gestão do presidente Andrey Cavalcanti. Compareceram à reinauguração várias autoridades do mundo jurídico, em particular o provável futuro presidente do Conselho Federal, advogado Cláudio Pacheco Lamachia, atual vice-presidente. Os advogados do interior que vêm a trabalho à capital, contam agora com uma estrutura de hospedaria no clube melhor do que em muitos hotéis: tudo de bom gosto e confortável.

Eleições

E por falar em OAB, este ano acontecem as eleições para renovação de todas as seccionais, em novembro. Os grupos que se antagonizam em Rondônia começam a se articular para montar as respectivas chapas. Os bastidores dessas articulações nem sempre são republicanos pela voracidade com que alguns “medalhões” tentam impor suas vontades, mas é assunto que a coluna vai abordar no momento adequado e crucialmente importante. Aguardem!

Em baixa

A situação política da maioria dos prefeitos de Rondônia (com raras exceções) não é boa. Uma pesquisa que a coluna conseguiu acesso revela que a população está mais atenta às gestões locais e rejeita a forma pela qual os municípios estão sendo administrados. Como as eleições municipais estão marcadas para o próximo ano dificilmente inverta a curva descendente da popularidade, pois quem não conseguiu trabalhar em três anos, em apenas um é impossível fazê-lo para reverter a situação desesperadora.

Rejeição

Pelos dados apurados, as gestões do prefeito de Cacoal, Padre Franco (PT), de Rolim de Moura, Cezar Cassol (PP) e de Guajará-Mirim, Dr. Dulcio (PT), foram um triunvirato de campeões em rejeição. A lista segue com outros 38 prefeitos com percentuais baixos demais para quem pretende disputar a reeleição. A exceção pode contar nos dedos.

Perfil

Em geral os políticos andam em baixa com o eleitorado, particularmente os mais próximos da população. Embora a crise que assola o país afete o humor do eleitor e tenha provocado uma reação em cascata contra a presidente Dilma Rousseff, o prefeito ainda é alvo preferencial das insatisfações coletivas. As razões são diversas, mas o elemento preponderante é a marca pessoal. Prefeito ausente e sem projetos que melhorem e embelezem a cidade está fadado ao fracasso nas próximas eleições. O que abre espaço para que sejam eleitos aqueles sem vínculos partidários, sem experiência política e sem carisma. Bastará um perfil de pessoa bem sucedida com um discurso de salvador da pátria. O difícil é encontrar alguém com este portfólio disposto a encarar o buraco.

Letargia

A mesma pesquisa também revela que a popularidade do governador Confúcio Moura está em frangalhos. Não há nada que indique melhora em curto prazo porque a cassação ocorrida no Tribunal Regional Eleitoral desencadeou um processo de incertezas, causando paralisia generalizada no executivo estadual como se estivéssemos em fim de governo. Na prática vivemos uma administração letárgica. O Tribunal Regional Eleitoral retoma o julgamento dos processos de cassação de Confúcio Moura, nesta quinta-feira.

Prestígio

Vários parlamentares federais de diversos estados e partidos compareceram à posse do rondoniense Manoel Carlos Neri da Silva para mais um mandato no Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), em Brasília. O senador rondoniense Valdir Raupp (PMDB) e o deputado federal carioca Brizola Neto (PDT) falaram pelos colegas presentes. Manoel Carlos cobrou a votação das pautas legislativas dos trabalhadores da enfermagem brasileira e fez questão de registrar a história de sua origem até a ascensão ao cargo. Uma posse bem concorrida na capital federal.

Barulho

De passagem por Brasília este cabeça chata fez um périplo nos órgãos de controle que fiscalizam a aplicação dos recursos federais que aportam em Rondônia. Tanto na CGU quanto no TCU a situação de alguns gestores locais é preocupante. Em breve teremos mais barulho por aí.

Faroeste

Preocupa o aumento vertiginoso da violência em Rondônia. Os índices de assassinatos e crimes contra o patrimônio estão em curva crescente sem que os órgãos de segurança sinalizem para a população ações efetivas visando diminuir esses números. A sensação é de “terra sem lei” já que os pistoleiros ceifam a vida de suas vítimas à luz do dia. A estrutura colocada pelo estado à disposição do policial é tão precária que ontem (21), no espaço alternativo, uma viatura conseguiu atolar por causa de uma obra inacabada que entulhou uma montanha de barro. Aliás, este governo não consegue sair do atoleiro em que se meteu.

Distrito

A Comissão de Constituição e Justiça do Senado (CCJ) aprovou, nesta quarta-feira, uma mudança na lei eleitoral criando o voto distrital para as eleições de vereadores, em 2016. A nova regra divide a cidade em distritos e elege o candidato mais votado de cada local (distrito). Atualmente os vereadores são eleitos por via da proporcionalidade partidária, ou seja, é eleito o mais votado do partido ou coligação que atinge o coeficiente eleitoral. O texto aprovado pelos senadores prevê que o partido ou coligação registrar apenas um candidato por distrito, com direito a suplente. O mais votado leva a vaga e seus votos não servem para puxar um outro. Como foi aprovado de forma terminativa o projeto segue direto para a Câmara Federal sem passar pelo plenário do Senado. Um bom começo para acabar com a esculhambação eleitoral e partidos de alugueis. As coligações, outra deformação do nosso sistema eleitoral, estão com os dias contados.

CAARO

A coluna agradece a atenção dada pela direção da Caixa de Assistência dos Advogados do Brasil, seccional de Rondônia, depois das críticas feitas na coluna passada em relação a um plano de saúde que descredenciou o hospital Central sem comunicar aos associados.

Procrastinação

Embora haja uma expectativa imensa da população em relação a conclusão do julgamento dos embargos de declaração que cassou o governador Confúcio Moura (PMDB) pelo cometimento de abuso de poder econômico, na sessão desta quinta-feira os processos não retornam a pauta do Tribunal Regional Eleitoral. A demora coloca o governo no limbo e causa perplexidade no cidadão que desconhece os meandros processuais das lides.

Comentários
Carregando