fbpx
Eleito dentro da cadeia em 2012, vereador foragido tenta disputar reeleição em RO

Foragido há dois meses, desde que teve sua prisão decretada, o vereador vem mantendo ativo seu perfil no Facebook, onde faz a campanha eleitoral

Foragido há dois meses, desde que teve sua prisão decretada, o vereador Roberto Ferreira Pinto (PSD), de Chupinguaia, vem mantendo ativo seu perfil no Facebook. Numa de suas mais recentes postagens, foi veiculado um “santinho” (material de divulgação eleitoral), sugerindo sua participação no pleito deste ano. A imagem postada (e que ilustra esta reportagem) acabou excluída pouco depois, mas já havia sido “printada”.

Mesmo sob ameaça de prisão, em virtude de uma questão agrária que se transformou em caso de polícia, o parlamentar, que já presidiu a Câmara de Chupinguaia, mandou representante à convenção partidária na qual foram escolhidos os candidatos. Representando o marido, a esposa de Roberto teria dito que ele tinha a intenção de concorrer, caso sanasse suas pendências judiciais.

Informalmente, aliados do vereador disseram que a documentação exigida para que ele peça o registro de sua candidatura já foi providenciada. Inclusive certidões negativas deverão ser apresentadas. Antes da decretação de sua prisão, o próprio edil disse ao FOLHA DO SUL ON LINE que mesmo a condenação colegiada não o atingia. E, de fato, existem exceções previstas quanto a isso na Lei da Ficha Limpa.

Curioso é que, em 2012, concorrendo a vereador, Pinto acabou preso pelo mesmo crime que resultou em sua condenação (entenda aqui). Mantido na cadeia de Vilhena em pleno processo eleitoral, acabou vencendo a disputa e sendo empossado após ser libertado.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta