Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Eleitores se dizem inconformados com o sumiço de Lindomar Garçon

0

População, simpatizantes e desafetos se reúnem nas redes sociais tentando descobrir que fim levou o segundo colocado na ultima eleição para prefeito, em Porto Velho, Lindomar Garçon. A pergunta fica no ar principalmente porque até agora nenhum esclarecimento foi dado sobre o seu suposto envolvimento na Operação Apocalipse que levou para a cadeia alguns vereadores, deputados e empresários da capital.

Tudo o que se sabe no momento é que ele foi morar em um sítio na linha triunfo, seu reduto eleitoral na cidade de Candeias do Jamari, entregou o PV (partido verde), se filiou ao PMDB e se encaixou no Governo da Cooperação.

Veja o que o blog “A CRITICA DE RONDÔNIA” escreveu e virou rastilho de pólvora nas redes sociais.

Dez meses depois da Operação Apocalipse, nenhum esclarecimento sobre o suposto envolvimento de Lindomar Garçon e traficantes membros de uma também suposta Organização Criminosa instalada em Porto Velho para financiar campanhas eleitorais. A Operação Beta (arquivada e mantida sigilosamente) e posteriormente a Operação Apocalipse (herdeira da Operação Beta), tornaram público o que pode ser considerado o maior escândalo de campanha eleitoral no Estado. De vereador, passando por deputado, candidato a prefeito e até o próprio atual governador, são citados em vários momentos como beneficiários do esquema criminoso.

Herbert Lins (ex-“homem” forte do Governo Confúcio Moura) delatou em carta pública o governador Confúcio Moura e o ex-candidato a prefeito de Porto Velho, Lindomar Garçon. Diz ele que Confúcio e Garçon foram os maiores beneficiados por Fernando da Gata. Na carta, ele fez um desafio ao então secretário de Segurança Pública, delegado Marcelo Bessa: “Agora pergunto ao senhor delegado de Polícia Federal Marcelo Bessa: vai prevaricar?”. O tempo passou, Bessa acabou deixando o comando da Secretaria de Segurança Pública sem nenhuma resposta, principalmente do porque Garçon apesar de ter sido acusado vários vezes como beneficiário do esquema montado por supostos narcotraficantes, escapou de qualquer tipo de procedimento policial.

O ex-deputado Lindomar Garçon, candidato derrotado na última campanha eleitoral de Porto Velho, também foi flagrado nas escutas telefônicas da Polícia Civil durante a Operação Apocalipse. Dez meses transcorridos da ação da Polícia Civil, não se têm conhecimento dos desdobramentos do caso. Enquanto uma deputada e cinco vereadores foram indiciados por suas ligações com a Organização Criminosa, liderada por Fernando da Gata e Beto Baba (de acordo com a PC), o Garçon tem escapado.

Segundo depoimentos, Lindomar Garçon teve sua campanha eleitoral para prefeito de Porto Velho, financiada por Beto Baba (Alberto Ferreira Siqueira) e Fernando da Gata (Fernando Braga Serrão). Os dois teriam se envolvido diretamente e ativamente na campanha do seu candidato. Segundo colocado na eleição municipal de 2012, Garçon obteve 83.828 votos (36.97% do total). Em depoimento Luciana Dermani Aguiar (irmã da deputada Ana da 8) confirmou o financiamento da campanha de Garçon, pelos traficantes (de acordo com a PC).

No início deste ano, um ex-importante aliado do governador Confúcio Moura, também preso na Operação Apocalipse, fez graves denúncias envolvendo o governador e o ex-candidato a prefeito, Lindomar Garçon. Para Herbert Lins, Confúcio e Garçon foram os maiores beneficiados por Fernando da Gata e Beto Baba.

Linddomar

 

 

 

 

 

 

Fonte: Quenoticia.com.br

Comentários
Carregando