fbpx
Em duas operações simultâneas da Lava Jato, Vaccarezza é preso pela PF

Estão sendo cumpridos mandados em cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, a determinação contra o ex-deputado é de prisão temporária

Pela primeira vez na história da Lava Jato, a Polícia Federal deflagou nesta sexta-feira (18/8) duas fases (43ª e 44ª) simultâneas da operação em cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Entre os presos, está o ex-deputado federal Cândido Vaccarezza, contra quem o juiz Sérgio Moro expediu mandado de prisão temporária. Henry Hoyer, operador financeiro do PP, e o irmão dele, cujo nome não foi divulgado ainda, também foram presos.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), Vacarrezza, ex-líder dos governos petistas Lula e Dilma Rousseff, é suspeito de receber cerca de US$ 500 mil em propina.

Agentes cumprem 46 ordens judiciais – seis prisões temporárias, 29 buscas e apreensões e 11 conduções coercitivas. As operações foram batizadas de Sem fronteiras e Abate e miram desvios de contratos de navios da Petrobras.

A Operação Sem Fronteiras decorre da relação entre executivos da Petrobras e grupo de armadores estrangeiros para obtenção de informações privilegiadas e favorecimento em contratos milionários com a empresa brasileira.

Na Operação Abate, a ação visa desarticular grupo que era apadrinhado por Vaccarezza, cuja influência era utilizada para a obtenção de contratos da Petrobras com empresa estrangeira. Nesta relação criminosa, recursos foram direcionados para pagamentos indevidos a executivos da estatal e agentes públicos e políticos, além do próprio ex-parlamentar, segundo a PF.

“Bovino Religioso”
Vaccarezza foi citado inicialmente em 2015, nas delações do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Na época, Costa disse que se reuniu com Vaccarezza para discutir repasses para a campanha dele em 2010. Youssef falou de entregas de dinheiro.

Vaccarezza também foi citado nas delações da Odebrecht: teria recebido R$ 5 milhões para beneficiar a empreiteira em um negócio em São Paulo. Em mensagens interceptadas na Lava Jato, a PF se deparou com apelido “bovino religioso” e concluiu que era Vaccarezza (vaca reza).

Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR), onde permanecerão à disposição do juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR.
Operação Abate:

São Paulo (SP)
1 mandado de prisão temporária
3 mandados de condução coercitiva
6 mandados de busca e apreensão

Santos (SP):
2 mandados de condução coercitiva
2 mandados de busca e apreensão

Rio de Janeiro (RJ):
3 mandados de prisão temporária
5 mandados de condução coercitiva
14 mandados de busca e apreensão

Operação Sem Fronteiras:

Rio de Janeiro (RJ):
2 mandados de prisão temporária
1 mandado de condução coercitiva
17 mandados de busca e apreensão

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta