Em RO, homem dá “carteirada” de agente da ABIN e depois de liberá-lo, polícia descobre que era farsa

Ele estava armado; Agência nega que ele integre os quadros; polícia pede ajuda para identifica-lo

Um caso no mínimo inusitado foi registrado em Porto Velho, capital de Rondônia. Durante o fim de semana, em uma blitz da “lei seca”, um homem que se identificou como Luiz Henrique Douglas Dutra Marcondes de Lucena, apresentou uma carteira funcional da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e foi liberado.

O problema é que só depois foram verificar a veracidade das alegações e em contato com a Polícia Federal e com a Abin, descobriu-se que o homem não integra os quadros da Agência.

Agora a Polícia Civil instaurou inquérito apurar crimes de falsidade ideológica, uso de documento falso, falsa identidade e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, porque além de supostamente embriagado, o sujeito estava armado.

O delegado Nestor Romanzini, da 3ª DP, responsável pelo caso, pede ajuda da população para identificar o suspeito. Informações podem ser repassadas para o telefone 197, de forma anônima.

Em uma pesquisa, PAINEL POLÍTICO descobriu que Luiz Henrique Douglas Dutra Marcondes de Lucena reside em Cuiabá (MT) é natural de Porto Velho e é da Loja Maçônica Obreiros do 3º Milênio, da Grande Oriente do Brasil.

Ele também é proprietário da empresa “Só Pedras Home Office”, aberta em 2006 e também funciona em Cuiabá.

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta