fbpx
Em Rondônia candidato a deputado estadual vendeu mandato por R$ 250 mil

[su_frame align=”right”] [/su_frame]Quando o cidadão rondoniense pensa que já viu de tudo em matéria de corrupção de políticos, sempre aparece mais uma esparrela. Desta vez, copiando ‘modus operandi’ de quadrilha desarticulada na operação Apocalipse, um empresário e um candidato a deputado estadual teriam supostamente firmado contrato de venda de mandato com clausulas nada republicanas.

Apresentando-se como um dos candidatos da Igreja Assembleia de Deus em Porto Velho, o jovem Samuel Costa (PT do B), líder comunitário do bairro nacional vendeu teria vendido sua carreira politica. O comprador teria sido o empresário Silvio Jorge, que já foi preso em operação que desarticulou quadrilha instalada na Emdur.

No documento ficou estipulado que Samuel receberia 250 mil reais de doação e em contrapartida, se eleito fosse, repassaria 40% das verbas de gabinete ao empresário, que também receberia 50% da suposta propina que corre em malas pretas para eleição da mesa diretora.  Para finalizar a imoralidade explicita, Silvio também teria pedido direcionamento de 70% das emendas parlamentares para suas empresas. Tudo devidamente postado em contrato de gaveta. O contrato teria validade por 4 anos.

Uma das clausulas chama atenção. Mesmo sendo criminosa esta conduta, os ‘parceiros comerciais’ estipularam que em caso de desacordo, ficou eleito o foro da comarca de Porto Velho para dirimir duvidas.

O candidato não foi eleito. O empresário nega as acusações.

Com informações do Rondoniaovivo

Confira as fotos

cont2

cont1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta