Em Rondônia Vara Criminal está sem defensor público desde março; governo segue ignorando pedidos

Juiz titular já fez reiterados pedidos, apelou inclusive a redes sociais, mas governo segue ignorando apelos

Descaso e irresponsabilidade com dinheiro público. Essas são as duas palavras que resumem perfeitamente a atuação do governo de Confúcio Moura em relação ao judiciário. A 1ª Vara Criminal, uma das mais movimentadas do Estado e com volume de processos absurdamente alto está sem defensor público nomeado desde março deste ano, e apesar de reiterados pedidos por parte do juiz titular, Francisco Borges Ferreira Neto, o governo ignora sistematicamente, preferindo pagar advogados nomeados ao custo médio de R$ 1 mil por audiência.

Descaso da Defensoria causa prejuízo ao Estado

Em julho desse ano, o magistrado, que também é vice-presidente da Associação dos Magistrados do Brasil, chegou a usar seu perfil pessoal no Twitter para cobrar publicamente do governo a nomeação de um defensor, mas vem sendo solenemente ignorado, tanto pelo governo quanto pela própria defensoria.

Cansado de esperar por defensor público, juiz, vice-presidente da AMB cobra governador pelo Twitter

Custos

De acordo com levantamento superficial, a 1ª Vara vem gastando mensalmente em torno de R$ 50 mil com advogados nomeados para atender processos criminais.

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta