Emater não vai avançar um palmo com nova secretária, dizem produtores

Anunciada como “pessoa que vai ampliar o que está dando certo e buscar cada vez mais inovações”, Albertina Marangoni Bottega, também conhecida como “Albertina da Emater” não vai fazer diferença alguma à frente da entidade, afirmam alguns produtores que contestam a indicação feita pelo MDB que terminou traindo (para variar) o atual gestor da empresa, Chiquinho da Emater, que é zootecnista.

Já a nova gestora é extensionista social e sua experiência se resume ao trabalho ligado a essa área, principalmente em políticas voltadas para mulheres, “ela não tem nenhuma experiência nem relação com o setor produtivo de fato”, revelou um produtor que alegou ainda ser “vazio” o discurso de Daniel Pereira (PSB) que assume o comando do Estado em abril e pretende fazer um quadro “técnico” ao invés de político.

“A nomeação de Albertina nada mais é que politicagem. O setor não vai avançar um palmo”, relatou um extensionista da empresa.

Nomeações técnicas

Por telefone, há cerca de 10 dias, Daniel Pereira afirmou que montaria um quadro “extremamente técnico” dando preferência à servidores das secretarias. Nesta segunda-feira, a informação que circula já é outra, a de que ele pretende manter grande parte do secretariado de Confúcio Moura, que está longe de ser técnico.

Mais do mesmo.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta