Embaixatriz ameaçou cúmplice de morte, caso ele revelasse os planos

Divisão de Homicídios e polícia grega vão buscar imagens que corroborem versão

Eduardo Tedeschi de Melo, apontado pela polícia como um dos três suspeitos de matar e tentar ocultar o cadáver do embaixador grego Kyriakos Amiridis no Rio de Janeiro, afirmou em seu depoimento que Françoise Amiridis, esposa do diplomata, o ameaçou de morte caso falasse sobre os planos do crime a alguém. Eduardo é primo do PM Sérgio Gomes Moreira Filho, apontado como amante de Françoise e que teria sido responsável, segundo as investigações, por matar Kyriakos.

Nesta segunda-feira (2), a polícia grega e a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF) continuarão as diligências para conseguir imagens do crime. Uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (2), antes de os policiais irem para a Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense para continuar as investigações, define detalhes da cooperação.

“Vamos fazer um cronograma de diligências para que esses policiais gregos acompanhem”, disse o delegado Rivaldo Barbosa, em entrevista ao Bom Dia Rio. As investigações, após a prisão de Françoise e do PM Sérgio Moreira, além do sobrinho, seguem principalmente na busca por imagens que possam ajudar a elucidar os últimos pontos do crime.

PM tentou apagar imagens

O PM da UPP fallet, preso suspeito de assassinar o embaixador da Grécia no Brasil, tentou apagar imagens de câmeras de segurança do circuito interno do condomínio onde o diplomata foi morto, em Nova Iguaçu, município da Baixada Fluminense.

A informação consta na decisão da Justiça do Rio, que determinou na noite de sexta-feira (30) a prisão não só do PM, como da amante do militar e mulher do embaixador, Françoise de Souza Oliveira, de 40 anos, e o primo do policial, Eduardo Tedeschi de Melo, de 24 anos. O PM não conseguiu apagar as imagens porque agentes da Polícia Civil conseguiram impedir.

Todos os três já foram encaminhados a presídios e ficarão acautelados por pelo menos 30 dias. Também na decisão, o juiz Felipe Carvalho da Silva ressaltou que nos depoimentos dos acusados pela polícia de matar Amiridis existem várias contradições.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário