fbpx
Empreendedor deixou roça de café para criar rede milionária de pizzarias

Elídio Biazini se mudou para São Paulo na tentativa de fugir da seca e passou por muitos empregos até inaugurar a Dídio Pizza

Aos cinco anos de idade, Elídio Biazini já acompanhava seus pais durante o trabalho em uma roça de café, no interior do Estado de São Paulo. O esforço precoce rendeu frutos ao longo de sua carreira, mas foi consolidado apenas 30 anos depois, em 1993, quando o empreendedor inaugurou a Dídio Pizza, rede de pizzarias delivery.

“Na década de 60 houve uma seca muito grande e meu pai foi obrigado a se mudar com quatro filhos. Fomos morar de favor na casa de parentes. Vindo de uma cidade pequena para uma enorme, eu precisava me virar. Meu pai, minha irmã e minha mãe foram trabalhar, então comecei a vender sorvetes na rua”, explica Biazini sobre o início de sua trajetória na capital paulista.

O caminho até a inauguração do próprio negócio foi preenchido por uma série de outras funções. Biazini trabalhou em padarias, escritórios de advocacia, foi lavador de carros, manobrista e formou-se em ciências contábeis. A motivação para entrar no ramo de pizzarias foi a percepção de que o trabalho do setor, àquela época, não era bem executado. “O serviço de delivery era muito ruim. Minha irmã tinha uma pizzaria e trabalhava de forma muito amadora. Achei que podia ser profissionalizado”, conta.

Biazini diz que o investimento para começar a operação foi baixo: um forno e uma geladeira bastaram. O diferencial foi a criação de processos capazes de conferir maior qualidade ao serviço da Dídio. “Dentro da cozinha já tinha uma ajuda [profissional] nutricional. Fazíamos rotulagens, acompanhamento de temperatura…buscamos uma consultoria jurídica, padronizando o trabalho dos funcionários de acordo com a lei. Em relação ao marketing, procurei uma empresa que me ajudasse na criação do material gráfico. Isso era perceptível ao cliente. Eu já tinha computadores na loja, o que ainda era muito raro”, afirma o empresário.

Entrada no franchising

A expansão da rede começou no ano de 2008, quando Biazini abriu o negócio para franquias, mesmo sem entender a fundo o sistema. “Pizza eu conhecia muito, ou pelo menos achava que conhecia, mas franquia era um negócio novo para mim”.

Rede de pizzarias Dídio Pizza já tem 26 unidades atendendo no Estado de São Paulo
Divulgação

Rede de pizzarias Dídio Pizza já tem 26 unidades atendendo no Estado de São Paulo

Como um bom líder, procurou facilitar ao máximo o trabalho de quem tomaria conta das novas unidades: “Para o franqueado, uma obra é algo muito complexa, então começamos a assumir esse trabalho. Nós damos a loja pronta para ele. Fazemos também o atendimento local. Era difícil ter pessoas recebendo ligações em cada ponto de venda, pois é preciso treinar o funcionário, então nós trouxemos para dentro e fizemos uma central de atendimento que recebe todos os pedidos”.

A receita deu certo e, atualmente, das 26 lojas em funcionamento, apenas três são próprias e 23 são franquias. Um dos novos investimentos planejados pelo empresário dá sequência à linha da simplificação, aliando também a qualidade e a padronização. Biazini pretende inaugurar, nos próximos meses, uma unidade de centralização e distribuição dos produtos para todos os estabelecimentos da rede.

Com isso, o empreendedor espera aumentar em 29% o faturamento de R$ 30 milhões alcançado em 2015. No primeiro trimestre, em compraração ao mesmo período do ano passado, a Dídio já teve crescimento de 19%.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta