Entre sábado e segunda, 39 pessoas foram assassinadas no Espírito Santo, que segue sem PM

Dezesseis mortes ocorreram só nas primeiras horas desta segunda-feira

A violência explodiu no final de semana no Espírito Santo. Da zero hora de sábado até as 6 horas desta segunda já foram registradas 39 mortes. O balanço inclui as primeiras horas do terceiro dia do movimento de familiares de policiais militares, que impedem a saída das viaturas e deixaram as cidades do Estado sem policiamento.

Dezesseis mortes ocorreram só nas primeiras horas desta segunda-feira, ou seja, entre 0h e 6h. O maior número de mortes violentas foram registradas na cidade da Serra, com seis, seguida por Vila Velha, com 4 casos, e São Mateus, com 3.

Outros três homicídios ocorreram em Vila Velha, Guarapari e Viana.

Já o domingo, segundo dia do movimento, fechou com outras 16 mortes. A liderança ficou com Vila Velha, com quatro casos, seguido de Serra, com três. Já no primeiro dia da manifestação, o último sábado, foram registradas sete mortes.

Para que se tenha um comparativo, na sexta-feira, quando o movimento ainda estava sendo divulgado, foram registradas duas mortes violentas, uma na Serra e outra em Cariacica.

Balanço

Segunda-feira (0h às 6h) – 16 mortes

Serra – 6

Cariacica – 4

Vila Velha – 1

Guarapari – 1

Viana – 1

São Mateus – 3

Domingo (24h) – 16 mortes

Vitória – 2

Vila Velha – 4

Serra – 3

Cariacica – 1

Viana – 1

Guarapari – 1

Linhares – 2

Conceição da Barra – 1

Barra de São Francisco – 1

Sábado – 7 mortes

Água Doce do Norte -1

Serra – 3

São Mateus – 1

Cariacica – 1

Montanha – 1

Sexta-feira – duas mortes

Serra – 1

Cariacica – 1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta