Estudante desaparecida saiu de apartamento junto com ex-marido, que é PM

Ex-marido pode ter envolvimento direto no desaparecimento da jovem

A Polícia Civil já sabe que a estudante de Direito Andriele Gonçalves da Silva, de 22 anos, saiu de casa junto com o ex-marido, na noite do desaparecimento, na última quarta-feira (9), e não voltou mais. A informação foi confirmada por meio de uma fonte ligada às investigações. Câmeras de segurança registraram o momento em que o soldado da Polícia Militar, lotado no 22º BPM, chega ao apartamento e sai junto com Andriele. Sangue foi encontrado dentro do carro dele, no banco traseiro.

Informações indicam que o ex-marido pode ter envolvimento direto no desaparecimento da jovem. Para a polícia e a família, o policial negou ter visto Andriele no dia do desaparecimento, mas imagens de câmeras de segurança de vizinhos mostram o exato momento em que os dois deixam o apartamento, que ela passou a morar sozinha após a separação.

As investigações apontam que há marcas de sangue no banco traseiro do carro do policial, um Fiat Marea, apreendido pela polícia. O uso do produto químico chamado luminol é capaz de fazer aparecer traços de sangue até então invisíveis a olho nu. Outro ponto destacado na investigação é o corte de parte do estofado do banco de trás do carro – um quadrado do tecido foi cortado e retirado do banco.

A perícia criminal vai apontar se o sangue encontrado dentro do carro é da jovem desaparecida.

Câmeras

As imagens obtidas pela Polícia Civil são de residências próximas ao condomínio onde o casal vivia, antes da separação. No dia seguinte do sumiço de Andriele, o ex-marido, fardado e usando uma viatura do 22º BPM, foi até a casa de uma moradora próxima e solicitou as imagens. Diante da recusa, outro policial, colega do soldado, também foi até a casa. A moradora se recusou a dar as imagens e foi ameaçada pelos policiais.

Andriele tem 22 anos e era casada há quase quatro. Foto: Reprodução Facebook

Separação

A jovem é casada oficialmente com um soldado da Polícia Militar, mas está em processo de separação há meses. No divórcio, ficou acordado que ele sairia do apartamento onde os dois moravam. No entanto, segundo a família, o ex-marido não aceitava o fim do casamento e passou a ameaçar a jovem. A estudante, moradora de Colombo, trabalha em uma loja de roupas durante o dia e faz faculdade em Curitiba à noite.

Marido

Para a sogra, o marido de Andriele disse que não sabia sobre o paradeiro da jovem. Segundo a mãe dela, o celular da filha estava ‘online’ por meio do aplicativo WhatsApp mesmo depois do desaparecimento dela. O Boletim de Ocorrência (B.O.) obtido pela reportagem dá conta de que ele teria passado mal após saber do desaparecimento da esposa e se internou em um hospital para avaliação psiquiátrica.

Amigo

Um amigo de Andriele, apontado como motivo de ciúmes do soldado, negou que tenha mantido um relacionamento com a universitária. “Estão distorcendo. Eu me aproximei dela depois da separação, mas nunca sequer ficamos. No futuro poderia acontecer, mas até pelo momento que ela passava, isso não tinha rolado nada”, afirmou o rapaz, que foi quem fez a vídeo chamada antes do desaparecimento dela.

Polícia

A Polícia Militar se manifestou por meio de nota e afirmou que o internamento do soldado aconteceu antes das suspeitas dele na participação do sumiço da esposa. “O militar estadual foi internado na quinta-feira (10) para tratamento de saúde. A partir de então ficou sob cuidados médicos no hospital Bom Retiro e está afastado das funções como policial militar.

A comunicação do fato de afastamento médico do policial foi feita pela equipe de serviço no dia e publicado internamente no batalhão. Em relação às imagens, o Batalhão esclarece que vai apurar os fatos e circunstâncias”, diz a nota à imprensa.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta