Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Ex-deputado Maurinho é condenado por desvio de emendas parlamentares

0

O ex-deputado estadual Mauro Rodrigues da Silva (o Maurinho) e o ex-secretário estadual de Cultura, Esportes e Lazer, Jucélis Freitas de Souza, foram condenados  pelo crime de peculato e vão cumprir pena de prestações de serviços à comunidade ou entidades pública,  por terem desviado dinheiro público que deveria ser destinado a projeto social na áreas de esportes. Também foram condenados pelo mesmo crime o representante legal da Liga Desportiva e Cutural do Bairro Nacional, Francimar Alves de Oliveira e o  Celso de Souza Bueno, atualmente vereador por Pimenta Bueno.
Os réus foram denunciados pelo Promotor de Justiça Alzir Marques Cavalcante, da Promotoria de Justiça da Probidade Administrativa de Porto Velho, por envolvimento em um esquema de desvio de R$ 110 mil da Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), que deveriam ser destinados para implementação do Projeto “Escolinha de Futebol Crescendo com o Esporte”, por meio de um convênio firmado entre o Governo do Estado e a Liga Desportiva e Cultural do Bairro Nacional.

Veja também:

ENTENDA COMO FUNCIONA O ESQUEMA DE DESVIO DE EMENDAS

EX-DEPUTADO MAURINHO É CONDENADO POR IMPROBIDADE

As investigações do Ministério Público concluíram que não houve prestação de contas dos valores recebidos por parte da Liga Desportiva do Bairro Nacional, sendo certo que o dinheiro não foi aplicado na execução do projeto. Para agravar ainda mais a situação, o processo administrativo relativo ao convênio firmado entre governo do Estado, por meio da Secel, e a entidade desapareceu das dependências da secretaria, impossibilitando assim a realização de uma auditoria pela Controladoria -Geral do Estado.

A Liga Desportiva do Bairro Nacional foi contemplada com os recursos para execução do projeto “Escolinha de Futebol Crescendo com o Esporte” por meio de emenda parlamentar apresentada pelo então deputado estadual Maurinho. De acordo com o MP, depois de liberados os recursos para entidade conveniada, por meio de seu pessoal de gabinete, o deputado tratava de assegurar que pelo menos parte desse recursos lhe fossem repassados e, em seguida, dava-lhes destinação diversa da prevista, em benefício próprio ou alheio.

 

Comentários
Carregando