fbpx
Ex-jogador do Gaúcho envolvido em vídeo de masturbação fala sobre episódio: “Era zoeira mesmo”

Um dos atletas que aparecem no polêmico vídeo no vestiário do Gaúcho, em Passo Fundo, abriu o jogo – no vídeo, um jogador aparece masturbando dois colegas sob o chuveiro do vestiário. O jovem de 24 anos garantiu que tudo foi uma brincadeira entre eles. Ele contou detalhes do vazamento do vídeo e de como está a reação na família. Seus nomes não serão revelados a pedido do jogador.

Vocês querem falar alguma coisa sobre o episódio do vídeo?
Sim. Quero, sim.

O que acharam dessa opção de o presidente liberar vocês?
Ele combinou uma coisa com a gente, fizemos um acordo, tudo certinho. Ele falou: “Não vou expor vocês, quem vier pedir entrevista , não vou dar, vou proteger a imagem de vocês”. E foi tudo ao contrário, como vocês viram.

Ao contrário?
Ele está falando sobre o assunto. Disse que ia encerrar o assunto, mas fez tudo para ferrar com a gente.

O pagamento não foi feito?
O pagamento foi feito. O ruim foi ter exposto nossa imagem, dessa brincadeira que fizemos no vestiário.

Foi uma brincadeira? Qual o contexto disso?
A gente tinha treinado, na boa. Era uma frescura no vestiário, estava cheio, todo mundo lá, não só nós três. Daí, um foi inventar de filmar, outro levou na brincadeira…

Era uma aposta?
Era zoeira mesmo, no vestiário.

Isso é frequente?
Sempre, não. Mas é uma zoeira. Quem joga bola entendeu perfeitamente. Quem não joga levou para o outro lado.

Vocês falaram com o presidente depois das entrevistas que ele deu? Cobraram dele?
Ele disse que não falou nada, que não era ele. Tirou do dele como sempre faz.

Vocês vão entrar na Justiça contra o clube?
Conversei com o advogado, me explicou direitinho o que tenho de fazer.

Vocês vão alegar homofobia?
Não, não. Jamais. A gente é heterossexual, os três são casados, bem casados. A gente é só brincalhão. Talvez até demais.

Como foi a reação da família?
Contei a meu pai antes de vazar o vídeo. Preparei ele. Avisei: “Ó, fizemos um vídeo de zoeira e pode dar m…”. Como deu, né?

E tua mulher?
Ela ficou braba, né? Ela sabe que sou brincalhão e tal, gosto da zoeira, sou extrovertido. Ficou braba um pouco, mas agora está mais tranquila.

Vocês não pensaram que isso poderia vazar?
Depois que filmou, sim.

Vocês sabem quem vazou o vídeo?
Sim.

Falaram com ele?
Sim.

E aí?
Falou que quis brincar junto. Daí botou em outro grupo em que a gente não está. No nosso grupo, nunca vazou nada. Mas nesse outro aí, sim, veio a bomba.

Como vai ser a sequência da carreira de vocês?
Vou dar uma pensada. Conversei com alguns treinadores da minha confiança, com que já trabalhei. Eles me falaram que eu deveria dar um tempo agora, para baixar a poeira. E depois seguir de novo a carreira. Não acabou.

E os outros, como estão? Um deles não é daqui, né?
Não, é de São Paulo.

Ele já voltou para lá?
Sim, voltou hoje.

E como ele está? É o rosto dele que aparece.
Ele é o que estava pior, né? Mas daí conversei bastante com ele. Faz três anos que jogamos juntos, ele é bem meu amigo mesmo. Falei para ele que ia passar, que era para ir para casa, falar com a família. O primeiro lugar é a família apoiar o cara.

E essa foi a primeira vez que vocês fizeram essa brincadeira?
Foi. (risos)

Como foi a rescisão de vocês? Foi pedido de demissão, justa causa…
Foi um acordo. O presidente disse que não ia nos colocar a jogar.

Vocês não temiam ficar marcados com a torcida?
Sim, era por isso que ele não queria nos colocar para jogar.

Não era hora de o clube abraçar vocês?
Por um lado, era. Mas não quero falar muito disso para não dar m…

E como acha que vai ser daqui por diante na carreira, até relação com torcida?
Vou ter que dar um tempinho agora. E depois que baixar a poeira vamos ver. Mas eu levo na esportiva. Isso logo passa. Se ficar brabo, é pior.

Entenda o caso

Na semana passada, quatro jogadores do elenco do Gaúcho foram demitidos após o vazamento de um vídeo em que aparecem se masturbando no vestiário. Todos eram titulares da equipe que atualmente disputa a terceira divisão do campeonato estadual.

Após o vídeo de masturbação coletiva ganhar grande repercussão na internet, os quatro jogadores  – que não foram revelados – tiveram seus contratos rescindidos de forma imediata. Uma reunião da diretoria do Gaúcho selou o fim da trajetória do quarteto no clube, que tem como presidente Gilmar Rosso, militar e professor de sociologia.

Para o dirigente, a decisão não tem nada de homofóbico. “O Gaúcho teve uma das primeiras torcidas homossexuais do interior. Tivemos a nossa Coligay em 1980, quase 40 anos. Não temos qualquer preconceito, não somos guardiões de moral e não temos poder de polícia para monitorar o que jogadores fazem nas folgas. O que houve foi um ato de indisciplina. Desde o início da temporada, todos sabiam que não poderiam envolver o Gaúcho em imagens e vídeos sem autorização da direção. Se o vídeo tivesse caráter heterossexual, a mesma providência seria tomada”, disse Gilmar Rosso em entrevista ao “Zero Hora”.

*ZHEsportes

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta