Ex-marido mata mulher à facadas em frente à loja em que ela trabalhava em Rio Branco

A vendedora Keyla Viviane dos Santos, de 29 anos, morreu após ter sido esfaqueada em frente à loja de confecções que trabalhava em Rio Branco. De acordo com informações de familiares, Keyla foi chamada pelo ex-marido, Adjunior Sena, de 32 anos, e ao sair da loja foi esfaqueada duas vezes, no peito e virilha. O crime ocorreu no bairro Estação Experimental e o suspeito foi preso ainda em flagrante em uma rua próximo aonde ocorreu o crime.

O boletim de ocorrência aponta que a arma usada pelo suspeito foi achada ainda com manchas de sangue. Keyla chegou a ser atendida, mas morreu enquanto ainda recebia os primeiros-socorros na ambulância.

O sobrinho da vítima, Matheus Tavares, de 21 anos, foi ao local do crime  e disse que chegou a questionar o suspeito sobre a motivação. Além disso, ele revelou que o relacionamento de quase 4 anos do casal era bastante conturbado e que Sena não aceitava a separação que ocorreu há quatro meses.

“A família não apoiava o namoro. Notamos logo de início que ele não era uma boa pessoa, que mentia dizendo que era policial. Além disso, quando ela se separou, chegamos a ouvir ele a ameaçando por várias vezes. Minha tia era um ótima pessoa e nunca soube de briga dela com ninguém”, relata.

Tavares diz ainda que, como a família era contra o namoro, Keyla não contava abertamente sobre as ameaças e tentava evitar o assunto em casa. Porém, ele confessa que chegou a ver tentativas de reconciliação do suspeito.

A delegada Juliana De Angelis, da Delegacia da Mulher, informou que o suspeito já foi encaminhado ao judiciário. “Ele foi para audiência de custódia. Procuramos também outros registros de agressão nesta delegacia, mas não existe”.

O velório está sendo realizada na capela São Francisco e o enterro está marcado para às 15h no cemitério São João Batista em Rio Branco.

G1

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário