Ex-policial foi morto e esquartejado durante rebelião em Manaus

A lista oficial com o nome e a quantidade de mortos ainda não foi divulgada. Segundo o secretário Sérgio Fontes, mais de 50 pessoas morreram durante a rebelião

A rebelião do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), fez uma vítima conhecida, o ex-policial militar Moacir Jorge da Costa, o “Moa”. De acordo com o tenente-coronel Cleitman Rabelo, “Moa” estava em sua cela que fica em uma área conhecido como “segura”, quando os detentos invadiram o local.

Ainda de acordo com o tenente-coronel, após entrar no local os presos o esquartejaram e colocaram fogo na cela após o ato.

Em entrevista a uma rádio local, o secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, confirmou a morte.

“Môa” foi condenado a 12 anos de prisão pela participação no homicídio de Cleomir Pereira Bernardino, o Caçula, em janeiro de 2007. O ex- PM estava em um carro e teve a ajuda do filho do ex-deputado estadual Wallace Souza, Raphael Souza para executar o traficante.  Ele também foi condenado por fazer parte do grupo de extermínio

A lista oficial com o nome e a quantidade de mortos ainda não foi divulgada. Segundo o secretário Sérgio Fontes, mais de 50 pessoas morreram durante a rebelião.

A Crítica

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário