fbpx
Ex-prefeito Roberto Sobrinho assassinou o PT em Rondônia

Nos primeiros anos do governo Lula o Brasil surfava em uma onda de otimismo. Isso se refletiu em campanhas eleitorais país afora e em Rondônia o Partido dos Trabalhdores chegou a ter três deputados federais (Anselmo, Valverde e Miranda), três deputados estaduais (Firigolo, Dantas e Ribamar), uma senadora (Fátima Cleide) e elegeu o prefeito da capital do Estado, um sonho antigo dos petistas locais que acreditavam nos primórdios que fariam “uma política diferente”.

Com a onda Lula, veio à bonança. O anúncio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) previa pesados investimentos em infra-estrutura por todo o país e Rondônia, cuja capital era administrada por um petista, sonhava em ver a cidade transformada, tal qual aconteceu com a vizinha Rio Branco. Mas Roberto Sobrinho não é um Jorge Viana, aliás, passa anos-luz disso. Nosso então prefeito, vendo o dinheiro brotar nos cofres, tratou de abrir uma empresa e alugar caçambas para as usinas.

Ao mesmo tempo, a cidade estavam totalmente revirada. Roberto criou uma secretaria para cuidar das obras do PAC, mas não conseguiu avançar em nada. Obras superfaturadas, denúncias de corrupção e incompetência arrastaram a capital de Rondônia para o caos. Sobrinho terminou seu mandato tal qual termina o de Dilma, saindo pela porta dos fundos, afastado pela justiça e odiado pela maioria da população.

Talvez com a derrocada do projeto petista/bolivarianista sendo varrido do país, Roberto e o que sobrou do PT rondoniense siga junto para os anais da história como mais um período negro na América Latina. O desafio agora é manter a Lava-Jato para quem sabe, ela chegue nas obras das usinas de Jirau e Santo Antônio e ajude também a pegar alguns dos pilantras de outras legendas que meteram a mão na cumbuca de pixulecos. O problema agora é o PMDB…

 

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta