Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Execução de preso é cancelada nos EUA; médicos não conseguiram encontrar veia do condenado

Foi a 3ª vez na história dos EUA que uma execução foi cancelada após já ter sido iniciada. Alva Campbell, de 69 anos, foi condenado por matar um adolescente há duas décadas e tem diversos problemas de saúde

0

O estado de Ohio cancelou a execução de um assassino condenado com múltiplos problemas de saúde nesta quarta (15), porque membros da equipe estadual de execução não conseguiram encontrar uma veia para inserir um cateter intravenoso e administrar as drogas letais.

Foi apenas a terceira vez na história dos EUA que uma execução foi cancelada depois que o processo já tinha sido iniciado.

A equipe de execução primeiro tentou aplicar o cateter nos dois braços de Alva Campbell por cerca de 30 minutos enquanto ele estava em uma maca na câmara da morte do estado, e então tentou encontrar uma veia em sua perna direita, abaixo do joelho.

Aproximadamente 80 minutos depois que a execução estava agendada para começar, Campbell, de 69 anos, cumprimentou os dois guardas depois que a inserção parecia ter sido bem-sucedida.
Cerca de dois minutos depois, testemunhas da imprensa foram solicitadas a deixar o local sem serem informadas sobre o que estava acontecendo.

Gary Mohr, chefe do Departamento de Reabilitação e Correção de Ohio, disse que eles lidaram humanamente com a tentativa, mas que as condições das veias de Campbell mudaram desde exames na terça.
Ele disse que cancelou a execução após conversar com a equipe médica. “Foi minha decisão porque não era provável que conseguíssemos acessar veias”, disse Mohr.

Campbell, que deveria ser executado por matar um adolescente durante o roubo de um carro há duas décadas, será enviado de volta ao corredor da morte e uma nova data de execução será decidida, afirmou Mohr.
Policiais o levaram até a câmara da morte em uma cadeira de rodas e colocaram um travesseiro na maca.

Os advogados de Campbell tinham alertado que a morte do detento poderia se transformar em um espetáculo por causa de seus problemas respiratórios e porque um exame tinha demonstrado dificuldades em encontrar veias adequadas para a administração de um cateter intravenoso.

Eles argumentaram que ele estava doente demais para ser executado, e também que deveria ser poupado por causa dos efeitos de uma infância brutal, na qual foi espancado, abusado sexualmente e torturado.
Campbell sofre de problemas respiratórios relacionados a um longo hábito de fumar. Seus advogados dizem que ele precisa de um andador, depende de uma bolsa de colostomia e precisava de tratamentos respiratórios quatro vezes ao dia.

O procurador do condado de Franklin, Ron O’Brien, chamou Campbell de “garoto propaganda para a pena de morte”. Procuradores também dizem que as reivindicações sobre a saúde de Campbell são irônicas, já que ele fingiu paralisia para escapar da custódia da corte no dia do crime pelo qual foi condenado.

Comentários
Carregando