Explicações de Izequiel Neiva sobre a ponte de Ji-Paraná não convencem

GÊNESIS – O Governo de Rondônia, através da Secretaria de Estado da Educação, importou do Estado de Goiás um projeto de recadastramento de pessoal da educação com o objetivo de relocar os professores da rede estadual rondoniense com a justificativa de ser um projeto inovador – o que não é. Segundo Valdo Alves, Secretário de Estado da Educação, Gênesis não seria um projeto tão somente de recadastramento de professores, mas uma concepção de gestão. Lorota, a gênese do projeto, em síntese, é verificar onde pode tirar um professor de uma escola e recolocar em outra mais deficitária. Não há em sua essência nada que mude os currículos ou a própria pedagogia que a médio prazo melhore os índices educacionais rondonienses.

CONTRASSENSO – Professores que entraram em contato com a coluna garantem que o projeto não mexe na qualidade de ensino e nem aponta caminhos que implementem medidas para qualificar o corpo docente. Denunciam também, a exemplo de artigo publicado pelo professor Francisco Xavier (um baluarte na luta pela melhoria do ensino e da qualidade de vida dos professores), que para implementar o projeto o governo criou um malfadado grupo de trabalho no qual reuniu profissionais com salários astronômicos em relação aos demais servidores públicos. E compõem a equipe uma professora de matemática que nunca esteve no local de trabalho pela qual passou no concurso. No mínimo um contrassenso.

INOPERÂNCIA – Contestam ainda a declaração do secretário Valdo quando afirma que existem milhares de professores fora da sala de aula (sete mil) sem que o governo tenha tomado uma atitude nesses sete anos de administração. Por que então esperaram o final do segundo governo para mexerem com a vida profissional de milhares de professores sob a alegação de separar o joio do trigo? Tratar quem educa nossos filhos e são pessimamente remunerados de joio não é algo educado, mesmo que entre a categoria haja uns poucos ruins. O governo no mínimo foi inoperante. Faltou o digníssimo secretário adicionar em sua recente entrevista a um site da capital. “Se um homem ferir alguém com um objeto de ferro de modo que essa pessoa morra, ele é assassino; o assassino terá que ser executado. ” Números 35:16. Embora possamos encontra no livro de Gênesis tal assertiva, não é o que se deseja ao secretário. Mas o professor Virgílio não teve a mesma sorte…

PEDAGOGIA INOVADORA – Uma cidade do interior da Bahia (Riacho de Santana) conseguiu melhorar todos os índices escolares ao adotar em sua grade curricular o que vem sendo chamado de pedagogia da alternância. Consiste em os estudantes passarem a semana na escola e uma em casa. No tempo escolar, eles vivenciam um currículo que se estrutura a partir de um eixo chamado “Plano de Formação” que, como explicam pedagogos, organiza as alternâncias na escola e no meio sócio profissional (família/comunidade). Isso garante um currículo transversal que considera os conteúdos da Base Nacional Comum, mas também os que se relacionam diretamente com o campo, como Ecologia, Agroecologia, Desenho e Topografia, Recursos hídricos, Educação, Legislação e Defesa Ambiental, Geografia, Planejamento, Gestão e Tecnologias Ambientais, Urbanismo e Paisagismo.

EXPERIÊNCIAS – Como são exitosas as experiências da alternância e que são voltadas para o aluno do campo, o mesmo projeto foi oferecido à SEDUC para que fosse implantado imediatamente no assentamento Flor do Amazonas e foi rejeitado. A coluna verificou que o projeto seria todo financiado pelas Usinas: material didático, estrutura física e acompanhamento técnico. Caberia ao estado como contrapartida a parceria na cedência de professores já que o projeto atenderia centenas de famílias num raio de cem km do local do assentamento. Com a palavra a SEDUC.

FILIAÇÃO – São cada vez mais fortes nos bastidores políticos a desfiliação do governador Confúcio Moura do MDB. Membros do partido revelaram a coluna que Moura tem dado sinais de que deixará o partido para ingressar no PDT ou PSB. Há quem diga que com ele muitos outros emedebistas estariam sendo instados a deixar o partido. Ocorrendo, pode ser um tiro no pé, visto que os bochichos dos bastidores não são tão alvissareiros da forma que propagam os auxiliares do governador.

CAMARADAGEM – Chegou-se a se cogitar uma filiação ao PCdoB, mas as posições ideológicas que o governador ao longo do tempo expressou em seu BLOG são totalmente distintas dos comunistas. No entanto, esteve em Brasília reunido com a Direção Nacional do PCdoB e anteontem, na capital, se reuniu com a direção local da legenda e a senadora Vanessa Grazziotin. A conversa não rendeu nenhum acordo, embora os comunistas queiram filiar Cláudia Moura que vem a ser a esposa de Francisco de Assis (cunhado de Confúcio Moura) para que ela seja candidata a deputada federal. O governo Moura mantém uma camaradagem com dirigentes comunistas que exercem cargos comissionados no segundo escalão.

CAPITULOU – Quem recuou da pré-candidatura a governador foi o senador Acir Gurgacz (PDT) desde que o Supremo Tribunal Federal começou a votar um processo que lhe deixou inelegível. Nesta terça-feira (27) o processo retornou à pauta e o senador levar tinta. A qualquer momento perde o cargo de senador. Entretanto, independente do revés judicial é visível que Gurgacz já havia capitulado aos movimentos do vice-governador Daniel Pereira (PSB) em viabilizar a própria pré-candidatura. Acir esperava de Daniel a reciprocidade do apoio que o pedetista lhe deu nas eleições passadas para ser o vice da chapa de Confúcio.

PAPO FURADO – As explicações dadas pelo Diretor Geral do Departamento de Estradas e Rodagens, Ezequiel Neiva, sobre as denúncias feitas pelo MP de irregularidade na arbitragem que concedeu a uma empreiteira 30 milhões a título de repactuação referente a ponte do anel viário de Ji-Paraná, são infundadas. Ele declarou que a tunga milionária recebeu a chancela da Justiça como se uma Câmara Arbitral estivesse vinculada a estrutura organizacional do Poder Judiciário. As justificativas não passam de papo furado para engabelar os incautos e minimizar o desgaste político, haja vista que Ezequiel é candidato a candidato a deputado estadual. Esta ponte ainda vai dar muita dor de cabeça aos envolvidos e vem despertando o interesse do Poder Legislativo. Aliás, falta apenas uma assinatura de um dos deputados estaduais para que se alcance o número mínimo de assinaturas e seja instalada uma CPI para investigar os fatos.

VELADA – Quem acessa as postagens de Ezequiel Neiva no facebook percebe que o chefe geral do DER utiliza de obras públicas para fazer propaganda política, embora seja de forma velada. Um exemplo crasso é a obra do espaço alternativo que já rendeu aos auxiliares do governo muitas ações judiciais. Tudo indica que deverá render ainda muito mais. É propaganda velada sim, basta prestar atenção ao texto e esperar o momento da desincompatibilização para comprovarmos que estas obras serão usadas pelo provável candidata a deputado estadual.

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Participe do debate. Deixe seu comentário