Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Falta de gestão em Candeias do Jamari deixa alunos sem aula há duas semanas

0

Sem títuloAlunos da 2º serie da escola da João Dom João Batista Costa, que pertence ao município, estão quase duas semanas sem ter aulas. Segundo Laércio Dinis, pai de uma aluna da escola à reportagem do aloamazonia.com.br, ele afirmou que resolveu tornar público o problema porque não aguentar mais ver as crianças serem dispensadas todos os dias.

De acordo com ele é sempre os mesmos problemas, quando não é por causa da bomba d’água que quebrou é pela falta de professor substituto para dar aula na ausência do titular que faltou por causa de doença ou qualquer outro motivo.

“O que me mais chama a atenção é que a bomba só quebra na sexta ou na segunda-feira. Para se ter um ideia, em duas semanas minha filha só teve aula quatro dias, dois em cada semana. Agora eu não consigo entender porque que com água da Caerd passando bem na frente, a escola ainda se utiliza um poço artesiano”, questionou Laércio.

Ele também adiantou que já foi varias vezes na Secretária Municipal de Educação (Semede), e conseguiu resolver momentaneamente o problema da bomba d’agua que chegou funcionar alguns poucos dias. Mas questão da aula para sua filha ficou na mesma e para piorar a situação, quarta-feira, 23, a professora apresentou um atestado médico e provavelmente e a turma deverá ter aula só na próxima semana.

Conforme a Secretária Municipal de Educação, Sheyla Cristina, em entrevista ao site aloamazonia.com.br, confirmou que Laércio Dinis foi varias vezes na secretaria informando o que ocorre na escola. Ela adiantou na questão da bomba d’água a questão já foi resolvido. No entanto, com relação a falta de professores, ela nada poderia fazer e defendeu o direito da professora doente usar a prerrogativa de dar entrada no atestado médico “Então, não podemos obrigar a professora dar aula. E hoje temos um problema seríssimo no município que é a falta de e professores substitutos nas escolas do município. Infelizmente essa é uma realidade que vivemos”, disse.

Comentários
Carregando