Painel Político
A maior agência de notícias em seu Whatsapp do Brasil

Famílias que moram em áreas de risco deverão ser realocadas

0

Com o advento do período chuvoso, a Defesa Civil de Ariquemes (RO) alerta os moradores áreas de morro, encostas e próximos a igarapés sobre os riscos de desmoronamentos, alagamentos e deslizamentos. Atualmente, o órgão realiza recadastramento dos moradores e já identificou cerca de 800 famílias em áreas de risco. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Semdes) afirma que está prevista a entrega de mais de 600 casas populares em 2014, e que estes moradores são prioridades para a habitação.

A coordenadora da Defesa Civil Elis Regina Pereira, explica que há três meses, uma equipe formada por profissionais do órgão, mais agentes da Semdes, Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), e Diretoria de Planejamento Urbano (Dipur) realizam o recadastramento dos moradores de áreas de risco, a fim de identificar os locais mais críticos do município e atualizar os dados, visto que o último recenseamento foi feito em 2008.
Até o momento, cerca de 800 famílias foram identificadas morando em áreas de risco. Durante as visitas, os agentes realizam levantamento socioeconômico dos moradores nestas áreas e fazem recomendações. O recadastramento será encerrado dia 20 de outubro. “São moradias precárias, e estes moradores correm vários riscos, principalmente agora com as chuvas. A recomendação é que na ameaça de algum dano, os moradores deixem a casa, ou contate a Defesa Civil”, enfatiza Elis Regina.

A zeladora Maria Rodrigues da Silva, de 40 anos, mora em uma casa que tem risco de deslizamento e desmoronamento. Ela conta que morava na zona rural e comprou a casa há um ano, sem saber dos riscos da residência. Agora, com o cadastramento, ela tem esperanças de ser remanejada para uma das casas populares.
Já a dona de casa Marlene Farias de França, de 54 anos, conta que sua casa alaga todos os anos no período das chuvas. Além disso, durante os nove anos que mora no imóvel, uma cratera se formou no quintal, devido as captação pluvial, que deságua no local. “Além dos alagamentos, tenho medo deste buraco alcançar a minha casa. Eu só queria uma casa nova, para poder dormir em paz”, expõe.
A diretora executiva da Semdes, Rosicleia da Silva, ressalta que atualmente a secretaria custeia o aluguel de 12 famílias, que foram retiradas das áreas de risco. O aluguel varia de R$ 300 a R$ 450. No entanto, Rosicleia afirma que, em 2014, mais de 600 casas populares estão previstas para ser entregues em Ariquemes, e que a partir do cadastramento realizado atualmente, os moradores terão prioridade na habitação. “Enquanto as casas populares não ficam prontas, os casos mais urgentes serão remanejados para casas de aluguel”, finaliza Rosicleia.

 

Fonte: G1

Comentários
Carregando