Ji-Paraná: Fazenda que foi reintegrada é incendiada e funcionários são espancados

A fazenda Santa Aline, situada na Linha 206, cerca de 36km de Ji-Paraná, foi invadida por um bando armado na noite do último domingo, 22. Os homens incendiaram casas, motos e até um trator e ainda espancaram os funcionários, que cuidam da propriedade.

As vítimas declararam á Polícia Militar que os homens, cerca de 7, estavam armados com revólveres e espingardas e após renderem os funcionários, passaram a espanca-los, “eles começaram a bater e mandaram não olhar para eles. Depois que me bateram bastante, um deles mandou dizer ao meu patrão que eles estavam dispostos a matar ou morrer por aquelas terras. Eles também falaram que iriam invadir a fazenda e se houver resistência iram matar meu sobrinho, bem como o gerente da fazenda”, disse a vítima que preferiu não se identificar.

Depois da sessão de espancamento, o bando ateou fogo na casa e nas motocicletas que estavam no quintal. Em seguida, roubaram uma motocicleta Honda Bros, de placa NDH-0174, de um outro funcionário e saíram do local atirando para cima.
A fazenda Santa Aline foi reintegrada recentemente, após ter sido invadida por membros da Liga dos Camponeses Pobres, uma dissidência radical do Movimento dos Sem Terra. Após a reintegração, o grupo ficou acampado ao redor de uma igreja, que fica ao lado da Santa Aline. A Polícia Militar esteve no local, mas eles já haviam se mudado para um campo ainda mais próximo da fazenda. O novo acampamento tem cerca de 50 pessoas, entre crianças e adultos. Alguns estavam com os ânimos exaltados e empunhavam bandeiras vermelhas com a sigla LCP (Liga dos Camponeses Pobres), foices e facões. Todos gritavam palavras de ordem e xingamentos, quando os policiais se aproximaram.

Após os ânimos se acalmarem, um homem conversou com os Policiais Militares. Segundo ele, todos ali estão dispostos a lutar para conseguir “aquelas terras” da fazenda.

Com informações do Comando 190

Alan Alex é jornalista, editor do site e da coluna Painel Político. Natural de Porto Velho foi criador e editor do site Portal364, trabalhou na redação dos jornais Diário da Amazônia, Folha de Rondônia, revista Painel Político, foi assessor de imprensa, é roteirista, editor de conteúdo e relações públicas. Também atuou como repórter de TV e rádio. É filiado à ABRAJI.

Deixe uma resposta